quinta-feira, 6 de Agosto de 2009

Quando alguém morre muito cedo para nós...

Assim escrevi um dia a uma amiga...

...Pense que é perfeitamente natural que seu namorado sinta a morte da sua irmã... era muito nova e ele e tem pena que ela tenha ido tão cedo. O fato de ter sido por um acidente ainda se torna mais imcompreensível.

Mas um dia, quando possa, explique para ele, se é que você também consegue acreditar, que cada um de nós só vive o tempo necessário para viver. E que cada falecimento tem um objectivo. Há espíritos que se matam antes de completar o justo dia, e às vezes faltam apenas meses... Assim explica-se a morte de pré-maturos.

Entretanto, apesar de estarmos a falar neste assunto, não inicie nenhuma conversa sobre isso com ele. Não será necessário. Esteja sempre preparada para acalmá-lo, ser compreensiva e amiga. Deixe que ele desabafe a angústia que sente, e cuide dele com carinho para que vá esquecendo e entendendo com sua ajuda, que toda esta história de vida e de morte apenas faz parte de uma única trama divina: Aprender a amar!

Pobre de nós, ainda temos muitos exames para sermos aprovados... (risos)
Um comentário meu a seguir o post...
"Sabe de uma coisa, por mais que o ser humano insista em crescer em tecnologia, enriquecer materialmente ou adquirir respeito em títulos... estará sempre a ser atormentado pelos sentimentos que o levará a valorizar o "amor". E porque? Apenas porque, por mais que "possua", de nada serve se estiver "sozinho"."

Bem haja!
Joice Worm

3 comentários:

Dora disse...

Joice! Gostei muitíssimo de ler seu pensamento a respeito de "vida, morte e suas consequências". A trama então é "aprender a amar". E é divina!
Pois eu concordo plenamente!
Valorizo o amor, em todas as suas manifestações e formas. E quem ama sempre parece que tem uma vida suficientemente completa e total...não lhe falta mais nada...não é assim? Se todos compreendessem essa verdade, quem sabe sofreriam menos?
Beijo você com carinho e agradeço-lhe por essa partilha de idéias.
Dora

Ilaine disse...

Que bom ler suas palavras Joice sobre a morte e o abandono que nos causa.Perdi cedo demais meu irmão.

Beijo, minha amiga e bom domingo!

Joice Worm disse...

Dora,
Sabe de uma coisa, por mais que o ser humano insista em crescer em tecnologia, enriquecer materialmente ou adquirir respeito em títulos... estará sempre a ser atormentado pelos sentimentos que o levará a valorizar o "amor". E porque? Apenas porque, por mais que "possua", de nada serve se estiver "sozinho".

Ilaine,
Olá, linda. Que saudades já tinha de ti.
Eu também tenho pena quando morre alguém que amo ou mesmo a quem não tive oportunidade de amar... mas quando me convenço que nos encontraremos de novo, me tranquilizo.
Uma beijoka grande aí para a Dinamarca, com toda a magia que esta terra possui. MUAC!