domingo, 12 de setembro de 2010

Tempo de decisões positivas

Ando aprendendo com um amigo que o melhor que temos para escrever é sobre nós mesmos. No fundo, escrevemos sempre o que vem de dentro da nossa alma, mas na maioria de uma forma muito subjectiva. Falamos de gente, de personalidades, de atitudes, de desejos, de esperanças... disfarçamos dores em poesias e criticamos em crónicas.

Ele entretanto diz que o bom mesmo é falar do nosso dia, e hoje, lhes conto que sinto como se estivesse passando por uma fronteira. Assim como uma vez que vinha de Portugal para Espanha e sentimos entrar no carro uma onda de ar quente. Não pareceu mal, porque era quase inverno e o carro ficou completamente aquecido por dentro, pois as janelas estavam abertas. Mas falo da sensação de "fronteira". Era como se estivesse a começar um novo capítulo da minha história.

E hoje, apesar de não haver nenhum fenómeno estranho a acontecer, interiormente, sinto este calor (e não é da menopausa, pois esta sensação já não a tenho, apesar do desequilíbrio hormonal).

Sinto e exijo de mim a solução para todos os problemas que atraí. Digo "todos os problemas": Dívidas contraídas, personas non gratas, dificuldades diversas.

Estou dando um pontapé de saída a partir desta metade de vida que trago confirmada no meu bilhete de identidade.

Aqui vou eu!

Joice Worm

domingo, 8 de agosto de 2010

A vida é uma ilusão?!

Para mim tanto faz, estar aqui ou não estar.
O que é real é o que eu sinto. E pode ter o nome ou a curiosidade que for.

Tenho muito o que fazer e cumprir. Aqui ou no além, enquanto tiver uma nítida certeza em mim de que penso, logo existo, para já, não me importo se não é verdade para os outros. Estou para fazer funcionar o melhor possível até que mudemos de opinião. Eu e você.

É como se um professor me desse 10 lápis roxos para pintar uma paisagem. Teria que realizar o meu trabalho com os instrumentos que tinha. E se o meu colega tivesse todas as cores, eu tinha que aprender que, se o professor me deu apenas uma cor era porque sabia que eu era capaz de fazer um série de tons roxos que lhe fizesse sonhar com o meu exemplo.

Tudo é ilusão e tudo é real em determinado momento!
Joice Worm

sábado, 7 de agosto de 2010

Perpetuando nomes

Valdelice, João Batista, Marcelina, Hozerina, Maria Inês, Isidoro Carneiro, Marinês, Mário, Jovaldo, João Luís, Emília, Antónia, Érica, Bruno, Fábio, Alexandre, Adriana, Magali, Paulo Worm, Laís, Cláudia, Carlos Worm, Rute, Margarida, Izilda, Neninha, Carlitos, Cristina, Carlota, Nenas, Djidjo, Tina, Cartolas, Pedro, Marina, Joana, Miguel, Catarina, Patrícia, Glória, Carina, Moreira, Mariinha, Lula, Márcia, Magda, Aninha, Vinícius, Alzira, Valdemir, Gustavo, Larissa, Thaís, Lucas, Luiza, Edú, Eudes, Valmira, Gilton, Fabiana, Mônica, Daniel, Tatiana, Valdir, Valdete, Eliana, Lúcia, Victor, Carol, Cris, Érico, Adolfo, Walter, Valdelice, Carmé e Dick, Nice, Toinho, Laís, Igor, Zênia, Josemar, Josenil, Marcelo, Marcela, Joseval, Nalvinha, Laila, Luquinhas, Miúda, Temistócles, Deri, Lia, Bentinho, Jau, Lurdes, Luís, Alexandra, Sandra, Rosa, Graziela, Renato, Renata, Alexsandro, Hildete, Carlinhos, Litinho, Edelzuita, Bete, Chaves, Paulinho, Juninho, Sérgio, Luciano, Gilmar, Ana, Judite, Mena, Carlinhos, Lula, Sheyla, Wilson, Mariana, Cristina, Mena, Simone, Claudia, Pat, Bel, Ivan, Gary, Rubens, Paulinho, Siomara, Conceição, Regina, Toy, Raul, Ana, Mariana, Bia, João, Helena, Rafael, Custódio, Angélica, Vitória, Dina, Joana, Marta, Teresa, Gilma, Ilka, Marcelo, Marcílio, Pe. Paulo, Pe. Rui, Pe. Cardoso, Victor, Sofia, Isabel, Mafalda, Chico Miranda, Hemetério, Joaquim António, Mariana, Ana, Guida, João Luís, Barbara, Catarina, Emílio, José, Jorge, Gisa, Rafael, José Farias, Isabel, Márcia, Lurdes e José Amaral, Soledad, Maite, João Chumbo, Fátima, Orlando, Ana e Afonso, Jorge, Maria José, Lionel, Ricardo, Maria, João, João Calado, Rosa, Márcia, Luciana, Pedro, Rodrigo, Cati, Carlos, Joana e Marcos, Cézar, Carina, Wanda, Marisa, Henrique, Francisco, Otília, Cátia, Nuno, Pepe, Eva, Tânia, Telma, Pereira, Narciso, Ção, Vasco, Mena, Pedro, Constantinos, Catarina, Ana, João Pedro, Cristina, Silvia, Joaão Aço e Rosa, Florêncio, Beatriz, José Silva, Ana, Ricardo, Francisco P., Ludmila, Gabriel, Gilberto, Paulo, Juraci, Flor, Mírian, Brazão e Ema, Natália, Natalina, Nuno, Victor, Paula, Diogo, Rita, Mário, Rosário, Filipe, Elsa, Paula, Inês, André, Leonor, Rita, Rogério, Maurício Xavier, Mary, Josélia, Edmundo, Leo e Lana, Gildásio, Dinho, Roberson, Manel e Carla, Marisa, Tereza, Inês, Helena, Rui, Helena e Mário, Ayres e Ana, Lázaro, João e Céu, Miguel, Filipa, Anabela, Martinó e Adrilete, Domingos Bucho, Isabel, Simão, Fernando Luz, Edgar, Antonio Lopes, Pinto, Pacheco, Fátima, Rita, Dolores, Duarte, Miguel, Cajó, Wanda, Luís, Duda, Gerson, Ilka, Gersinho, Ismael, Lígia, Ruberserlander, Cássia, Jemina, Isis, Lara, Rose, Maurílio, António, Ilya, Marta, Solange, Magda, Adosinda, Zi, Ti Chico, Vitorino, Virgílio, Pedrogan, Carlos e Ção, Marta, Miguel, Silvia, Roberto, Vânia, Cidália, Célia, Josiene, Joaquim, Barbeitos, Tintas, Ana, Heliete, Tuca, Artur, Lúcia, Mena, Serafim, Casais, Gomes, Jaime, Botelho, Antonio do Rosário, Kanuka, Ilya, Madrugada, Lu Cavichioli, Metálica, Tosan, Fernando Rozano, Fernandinha, Carlos Oliveira, Gilma, Ilka, Maria José, Lino, Carvalhos, Torres, Borges, Moura, Tico, Adélia, Zélia, Joselita, Litinho, Elizabete, Patricia, Mônica, Tozé, Faro, Leonor, Nuno, Sofia, Chico, Lourenço, João Paulo, Olímpia, Filipe, Andréia, Olinda, Branquinho, Sérgio Godinho, Marçal, Francisco, Rolo, Barbara, Olaias, Ana Maria, Zezé, Rita, Zé Joaquim, Maria José, Angélica e Francisco, Antonio Pedro e Joaquina, Vera, Caludina, Maria João, Tanissa, Mírian, Marques, Leonarda, Inês, Bruno, Quinita, Gonçalo, Rabaças, Francisca, .Tong, Amarelo, Amany, Chaves, Milú, Gô e Juca, Fátima, Zé, Cristina Guerra, Ricardo (primo), Maria José, Joãozinho, Josefa, Laiane, Milzete, Rafaela, Priscila, Daiane, Miguel, Marta, Joaquim, Pepe, Inês, Piki, Tomás, Soledade, (o marido de Soledade), Sol,Rosa, Fran, Diana, Abrahan, Pepe, Fernando, Juan Pablo, Luís, Pilar, Maria José, Emigio, Sr. Antonio, Martins, Laura, Ludmila, Gilberto, Juuraci, Ivo, Skinner, Márcia Carvalho, Sally, Maruja, Isabel, Angeline,…, ( a proporção que for me lembrando vou colocando na lista...)

Joice

Pais, irmãos, parentes, amigos, patrões, marido, filhas e amigos, conhecidos… todos eles fizeram e fazem parte da minha formação e crescimento. A todos muito obrigada!!!

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Protecção para o carro

Hoje li em um post sobre colocar protecções no carro para que ele fique em segurança...

http://acuadoiro.blogspot.com/2010/07/proteccao-para-o-seu-carro.html

Hum... Em um carro temos as fitas do Senhor do Bomfim e muitos pedidos de proteção a todos os anjos. Neste momento o carrito já está todo batido sabe Deus como. Nunca apareceu culpados. No outro carro, não colocamos nada, só penso em ir e vir com segurança e tento não conduzir de forma temerária. Não acelero, não faço ultrapassagens perigosas, e conduzo também pelos outros.

Quando estaciono, estaciono e pronto. Não penso em mais nada. Assim como eu, deixo o carro à sorte. É o momento da nossa separação. Cada um por si.

Juntos somos melhor parceiros. Zelamos um pelo outro. Bem haja!

De qualquer forma, o post é interessante, pois as protecções estão mesmo na forma de pensar seja com o amuleto que for.


domingo, 25 de julho de 2010

Vaidade deste século

Não sei em que ano você está lendo isso, mas vou lhe contar que quando você estiver aí, deste jeito que está agora, deve estar procurando o que fazer ou está a fazer uma pesquisa daquilo que escreviam antigamente. Pois bem, vou lhe dizer uma coisa:

No meu tempo existem os Blogs. É assim uma espécie de bar-literário com a diferença de não haver copos, nem cervejas, nem gente a servir. Apenas escritores e leitores.

É um espaço incrível. Tanto dá para rir, como para chorar. Há até quem fique maluco por aqui. Depende do grau de dependência ou da exigência da pessoa. Mas o melhor é não se envolver muito e procurar pelo menos satisfazer a sua própria vontade.

Eu também tive minhas fases. Ora estava toda empolgada a escrever para ser lida, oras me via a chamar a atenção para que alguém dissesse qualquer coisa, nem que fosse para criticar... Mas esta palavra é dura. Porque um Blog não é isso. A crítica não é bem aceita aqui. Não se pode exagerar. É como estragar um brinquedo, compreende?

Este espaço comunitário foi criado para o deleite do escritor e do leitor. Cabe muita gente, dá para todas as culturas, pode escrever em qualquer língua e ainda por cima, se quiser, pode de graça mostrar uns vídeos ou músicas de que você gosta.

Mas queria falar da vaidade. Não daquela vaidade que termina por esquecer os outros, mas daquela vaidade gostosa que faz o coração chorar de emoção quando alguém lhe escreve doces palavras, lhe elogia a alma, diz que você é importante no mundo e que seu trabalho é magnífico e que ajuda as pessoas...

Esta vaidade de que falo e que nos faz feliz, você só vai sentir quando conseguir também ajudar alguém através daquilo que você escreve.

Este é o mistérios das letras do alfabeto. Juntá-las, separá-las e comunicar para todo o mundo:
A sua mensagem!

Bem haja!
Joice Worm

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Aplausos para aqueles que experimentam a vida

A vida é uma ilusão...
Vivê-la é o melhor que temos a fazer.

Vamos daqui para ali
Dali para aqui,
Experimentamos, nos relacionamos,
Choramos, rimos...

... e no final,
Sabemos que temos histórias para contar.

Nada como viver o momento presente com alegria.
E fazer da "vida", uma "festa".

Aplausos! Nós merecemos. Vocês merecem!
Aplausos, aplausos, aplausos...

Joice Worm

quarta-feira, 14 de julho de 2010

terça-feira, 13 de julho de 2010

Confirmação da expectativa

Confirmei as minhas expectativas de que ninguém acredita mais nos seus desejos e já ninguém tem certeza dos seus talentos...
Esta é a transformação de um mundo que antes era inocente e bom... Já há poucas pessoas que acreditam no que querem e que sabem como fazer para chegar lá.
Mas nem tudo está perdido.
Cada um de nós possui uma alma, e cada alma possui um corpo para sustentar. Ambos precisam de alentos e este alento começa por querer ser amado. Assim um sustenta o outro. Digo da alma que sustenta o corpo e o corpo que sustenta a alma, pois cada um de nós fazemos parte um do outro mesmo que não queiramos admitir.
Quero dizer que a sua falha é a minha falha.
Se você está triste e confuso é porque eu permiti que assim estivesse.
Pense nisto...

Um cheiro carinhoso,
Joice Worm

sábado, 10 de julho de 2010

5 desejos e 5 talentos

(Escreva no comentário como Anónimo, e depois escreva em um papel e leve na sua carteira)
........

Quero que façam uma lista de 5 desejos pessoais:

1-
2-
3-
4-
5-

Depois quero que cada um pense no que escreveu e o faça REAL!

A seguir, quero a lista de cinco talentos que você possui:

1-
2-
3-
4-
5-

Depois quero que você USE este talento!

O resultado será, o retorno: Para você PROSPERIDADE e para os outros GANHO.

Bem haja!

Joice Worm


sexta-feira, 9 de julho de 2010

Um caminho diferente a seguir, pela minha saúde mental

Há duas opções para seguir vivendo: Feliz ou infeliz.

Acho que devemos praticar seja o que for daquilo que nos possa levar ao estado mental de maior equilíbrio e serenidade.

Andei atormentada pela novidade da crise económica do mundo e no seio familiar... Sofri uns tempos achando que fizemos algo de errado ao longo da vida profissional, mas não...
Compreendo que muito do que vivemos hoje é fruto daquilo que pensamos ontem.
Sempre tive medo de não chegar onde queria e este medo me construiu um caminho de indecisões e dúvidas. Continuei sem perceber que ainda fazia na minha mente mais alguns quilómetros para andar...

Agora despertei e descobri que a engenharia da estrada que ainda me falta caminhar, depende de mim mesma.

Inspirei e expirei levemente deixando entrar os maus pensamentos e imediatamente colocando-os para fora purificado pela minha compreensão.

Aprendi a canção que me leva à limpeza mental: OM MANI PADME HUM que me deixa leve de pensamentos, de ideias pré-concebidas, de vivências passadas ou desejos de futuro.
Enquanto entoo a canção, a mente não encontra espaço para maquinações absurdas, mas sim, encontra uma calma em um lugar que só existe no interior de cada um.

Não me converti em religião alguma. A utilizo como veículo para chegar o mais rapidamente possível à compreensão e entendimento de tudo o que está acontecendo comigo e com os outros.

Digamos que no momento em que estou conectada com o meu interior, não penso em facturas, em más atitudes, em sofrimentos... mas sim, vejo e revejo na minha mente o mundo da forma que imagino e como gostaria de estar neste exacto momento.

Esta estrada que construo hoje, é a estrada que andarei amanhã.

Mani - para alcançar a iluminação
Padme - porque a flor de Lotus nasce na lama e não se contamina
Hum - finalmente para alcançar a sabedoria

Bem haja!

Joice Worm

sábado, 3 de julho de 2010

Tão Famoso Como a Lua

Conta-se que um homem conseguiu reunir uma saca de cereais, depois de ter passado boa parte da sua vida a semeá-la. Nunca havia conseguido reunir tão boa quantidade.

Com medo de que os ratos lhe roessem a saca, amarrou em uma corda e o colocou bem alto no seu quarto. Foi deitar tranquilamente e começou a pensar na sorte que teria depois que vendesse aquela saca de cereais. Iria comprar uma casa, encontrar uma mulher bonita para casar, ter um filho e lhe dar um nome.

Mas que nome lhe daria?

Olhou neste momento para a janela e viu a lua a sorrir para ele. Isso mesmo!, disse o homem em voz alta. Quando o meu filho nascer, irá se chamar: Tão Famoso Como a Lua.

Aconteceu que o rato descobriu o caminho para a corda, roeu-a e a saca caiu em cima da cabeça no nosso lavrador. Morreu e o filho nunca nasceu.
...
Esta é uma história do livro Tibetano.

Como você a interpretaria? (Eu estou criando minha opinião, mas enquanto isso, vou já me preocupando por não me arrepender no final).


Joice Worm

terça-feira, 29 de junho de 2010

Xô, gnomo!

- Eu faço com que tu te deprimas para brincar contigo - disse o gnomo.
- E eu não acredito que você faça isso comigo, porque não há interesse - disse a mulher.

- Eu faço com que tu te deprimas para brincar contigo - disse o gnomo.
- E eu não lhe vou dar nem mais um minuto de gozo - disse a mulher.

- Eu faço com que tu te deprimas para brincar contigo - disse o gnomo.
- E eu já não posso mais lhe ouvir, porque você insiste em ser meu inimigo - disse a mulher.

- Eu faço com que tu te deprimas para brincar contigo - disse o gnomo.
- E eu vou procurar seres fantásticos que me façam feliz! - disse a mulher.

- Vou lhe esquecer, gnomo. Você para mim, já não existe, continuou a mulher,

Puf... o gnomo desapareceu e levou a tristeza e a depressão.

- Gnomo, gnomo... - Gritou a mulher. Oh! Que coisa... já estava me habituando, continuou. Ia lhe contar que quase desisti de tudo por causa dele, mas ainda bem que se foi. Poderia incentivá-lo a continuar com seus propósitos. Melhor assim... Talvez também não lhe agradasse a soja que lhe dei estes meses. É, vai ver que foi isso...

by J.Worm
(brincando com a menopausa)

terça-feira, 22 de junho de 2010

Envelhecendo alegremente


Joice envelhecendo alegremente.
Bem haja!

(Receita: RIR, SORRIR, GARGALHAR)
Se não conseguires ver efeito por fora, muita gente o verá.
Quando tu te sentes feliz, te sentes bem!
Se não há motivo para a felicidade, procure um.
Invente!!!
(Se REINVENTE)

Joice Worm

domingo, 13 de junho de 2010

Tu és capaz!

Não deixe que ninguém lhe diga que não és capaz.
Pergunte qual é o desafio e cumpra a ordem.
Se a oportunidade apresentou-se a ti,
é porque tu és a única pessoa preparada.
Nunca duvide disto.
Tu sim, és capaz!

Bem haja!

Joice Worm

segunda-feira, 26 de abril de 2010

A estrada enlameada

(Ensinamento Budista)

Tanzan e Ekido caminhavam juntos numa estrada enlameada. Caía ainda uma chuva forte. Junto a um cruzamento da estrada, encontraram uma bela moça que não conseguia atravessar porque não queria sujar o belo kimono de seda que trazia.

- Anda moça, disse Tanzan imediatamente. E, carregando-a nos seus braços, atravessou-a para o outro lado da zona mais enlameada.

A partir daí, Ekido ficou calado todo o caminho que percorreram até à noite. Ao chegarem ao templo onde ficariam a pernoitar, Ekido não conseguiu se conter e disse a Tanzan:

- Nós os monges não nos aproximamos de mulheres. Especialmente se são jovens e bonitas. É perigoso. Por que fizeste aquilo?

- Eu deixei a moça lá atrás, disse Tanzan. Tu ainda estás a carregá-la?

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Zen)


Não há dúvida que a melhor maneira de resolver um problema é não pensar nele... Bem haja!

Joice Worm

domingo, 21 de março de 2010

Religião, qual escolher?

Não se deixe obcecar por religião alguma.

Não somos obrigados na vida real a participar de comunidades que se somam por números.

Entenda que um dos objectivos mais bonitos da vida é amarmo-nos uns aos outros. E por isso, não é necessário que exista qualquer tipo de religião.

Amar em plenitude é a receita que Deus nos deu.
Nomear e separar crenças e leis em "religiões" é coisa do homem.

Joice Worm

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Não desistir, é palavra de ordem!

Em resposta ao texto de uma amiga no LIMIAR DAS PALAVRAS (http://ensaios-poeticos.blogspot.com/2010/02/foi-ele.html). Muito inspirador...

Nan... Não acredito que a senhora das palavras esteja a limpar o sótão a estas horas da vida!
Não tu, M., não esta mulher experimentada e desfragmentada.

Sabia que as oportunidades de sofrer são dadas apenas para quem consegue suportar-las? E que estas pessoas que suportam são as mais privilegiadas? E tu, eu e umas quantas pessoas recebemos esta dádiva. Mas existem outros com mais fardo que nós. A terra abaixo dos nossos pés não tremem, nem nossas casas nos caem à cabeça.

Pergunta-me:«Que raio de oportunidade é esta?». Chama-se: expiação. O nome que se dá ao pagamento de penas divinas. Bem haja! Que esta nossa vida actual seja a última das dívidas.
Ao fim e ao cabo estamos todos a pagar facturas. Uns menos, outros mais. Peço perdão daquilo que fiz e não me recordo, mas aceito pagar sem contestar. Minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa.

Pagamos! Mas, XÔ FRUSTRAÇÃO, XÔ TRISTEZA, XÔ BAIXO ASTRAL E DEPRESSÃO!
Enquanto pago, ou pagamos, tenho e temos o direito, o dever de ser feliz.
E eu sou feliz dentro deste emaranhado de coisas, porque invento outras tantas que se adaptam a mim.

Adorei o seu texto, M.. Motivou-me para continuar a caminhar. Mesmo sem ainda ter perdido a vontade de perseguir a minha sorte. É terrivelmente fujona, mas a alcançarei. Hehe.

Joice Worm

sábado, 16 de janeiro de 2010

Haíti e sentido da vida

Resposta a uma mensagem sobre o "herói" do BB no Brasil... Não posso comentar por não saber do que se trata, mas terminei divagando por outros temas.

Ai... É uma lástima, mas assim se transformou a nossa sociedade.
O ser humano, que morre, morre. O ser humano que precisa, é ajudado pelo povo que deposita na caixa forte daqueles que você já sabe. E o que vende, dá vida e saúde àqueles que já tem, acrescentando mais e mais milhões "doados" por nós com suor e tristeza.

Já me abstenho de comentar, já me abstenho de reclamar.
Me resumo agora a ajudar as pessoas através da Sala dos Sonhos. Esta já passou para Sala de Consulta psicológica com assiduidade de desabafos de vidas, por todo o mundo.
Sou altruísta é o que a maioria me diz. Não queria que assim fosse neste momento. Não tenho dinheiro, nem tenho tempo para todas as pessoas que me pedem ajuda. Mas sigo ajudando até quando Deus quiser.
Ainda não me falta comida na mesa, de certo não me faltará... Sigo ajudando.

Daí quando vem uma catástrofe como esta no Haíti, Fico pensando no sentido da vida...
E não concluo.
Sigo ajudando.

Joice Worm

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

E como diz Zeca Pagodinho... Deixa a vida me levar!

Eu já passei
Por quase tudo nessa vida
Em matéria de guarida
Espero ainda a minha vez
Confesso que sou
De origem pobre
Mas meu coração é nobre
Foi assim que Deus me fez...

E deixa a vida me levar
Sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...

Só posso levantar
As mãos pro céu
Agradecer e ser fiel
Ao destino que Deus me deu
Se não tenho tudo que preciso
Com o que tenho, vivo
De mansinho lá vou eu...

Se a coisa não sai
Do jeito que eu quero
Também não me desespero
O negócio é deixar rolar
E aos trancos e barrancos
Lá vou eu!
E sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...

E deixa a vida me levar
Sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...


FELIZ ANO NOVO
que de novo só se você se responsabilizar em renovar!!

SARAVÁ!!!


JOICE WORM