segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Ser poeta

Uma homenagem aos poetas da blogosfera... Nada melhor do que esta poesia de Florbela Espanca que com a música de João Gil, ficou conhecida na voz de Luiz Represas. (artistas portugueses).
http://www.youtube.com/watch?v=EnJK9uHXots&feature=related

(Ser poeta) Perdidamente

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhas de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente...

É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dize-lo cantando a toda a gente!

Acordo Ortográfico

Anónimo (AO)
adjetivo

1. que não se quer dar a conhecer
2. sem nome; não assinado

nome masculino
1. aquele que não assina o que escreve
2. indivíduo desconhecido ou que não quer dar a conhecer-se;

ECONOMIA sociedade anó(ô)nima sociedade por ações, que não tem a designação de nenhum dos seus associados (Do gr. anónymos, «sem nome»)

ACORDO ORTOGRÁFICO grafia dupla: anônimo

O acordo já foi assinado. Agora para não nos chocarmos tanto com as palavras que estamos habituados, o dicionário autorizado on line que podemos conferir é: http://www.infopedia.pt/pesquisa?qsFiltro=29

Escreva a palavra que tem dúvidas e...
bom, há que se reaprender. Assim escreveremos sem grandes confusões ou choques.

domingo, 28 de setembro de 2008

Nada é por acaso...

Hoje foi um dia muito interessante.

Estou participando de uma Escola de Literatura ou Oficina de Escritores.

E como numa das actividades, os alunos são propostos a fazer uma pequena crónica baseada em um conto do escritor António Gomez (español). Como não tinha o livro para ler em casa, nem encontrei na internet, telefonei a uma amiga, que é leitora fanática e achei que com certeza ela podería tê-lo em casa.

E pasmem, ela não só tinha o livro, como também tinha o escritor... Haha... Maravilhosa coincidência. O autor é seu parente!!

Ao Anónimo

Anónimo deixou um novo comentário no meu post "Mensagem à Christopher Johnson McCandless":

(Apesar de me aconselharem a ignorar, não pretendo deixar um pessoa que fala comigo, falando sozinho... o homem até tem a sua graça... Vamos ver como ele se comporta daqui para frente. Para mim, é uma alegria a sua exposição...)

E lá vem ele...

"O comentário do texto, em se, é apenas um mero comentário entre tantos outros, o que é de profunda relevância é a mensagem de um homem, idealista e extremista, quanto á uma sociedade hipócrita medíocre e elitista, onde os valores de família não transcendem a própria hipocrisia de valores matérias sócias político e religiosos de um todo.
Onde Christopher Johnson McCandless “Alexander Super Tramp” assim denominado por ele mesmo. Onde idealizou á liberdade se desligando totalmente do que ele mais abominava; uma burguesia hipócrita falsa e sem valores morais.
Onde pessoas sem escrúpulos de uma sociedade pôdre tentam hoje se beneficiar, tentando se promover utilizando o seu nome, e fazendo comentários inúteis, talvez até pelo um simples erro de digitação, como por exemplo: “intoleráveis”, intolerável é esse tipo de comportamento hipócrita de se promover querendo causar impacto perante á sociedade, a qual você faz parte. Coloque uma mochila nas costas e vá viajar, e viva á mensagem dele; e não tentar passar uma imagem de mãe solidária, onde por traz disso á outros interesses.
Há matas cerradas um prazer; há nas encostas solitárias um arrebatamento, há sociedade, onde ninguém pode intrometer, pelo mar profundo e música em seu lamento: ”eu amo mesmo o homem, mais à natureza mais...”.
Alexander super tramp
O amor por sua família era incondicional, Deus o tenha em um bom lugar. "

-------------

Meu querido Anónimo. Eu continuo a achar que se alguém aqui tem algum problema, este infelizmente, espero dizer com palavras cândidas... é você.
Tens problemas maternos. Sentes falta de amor e carinho e por esta revolta, escolheste a mim como "mãe solidária" que você mesmo me acha e admira.

Sim, posso ajudá-lo se tanto necessitas. Farei de coração. Gosto de trabalhar com assuntos difíceis, mas o seu não é dos casos mais extremos. O que sentes, é apenas um desconforto por não ter coragem para fazer o mesmo que o Chris...

Mas podemos ir os dois juntos morrer para o Alaska, descobrindo as maravilhas deste mundo afora. Só há uma diferença. Reconhecendo os meus limites. Eu voltarei quando sentir que já não tenho condições. Deixo-te com os meus mantimentos e ensinamentos... Não precisarás de mais nada. És o mestre dos mestres e com certeza voltarei ilumindada com tão valiosa companhia.

Bem haja! Devia existir milhares de homens como você para tornar esta vida mais excitante. Adoro quando você aparece, sempre lendo o 'mesmo' post. Vejo seu quarto, cheio de fotografia do Chris com um altar e um livrinho em cima da mesa. Junto-me às suas orações de joelhos à alma de Chris. Peço desculpas por ser mãe, e por ter um sentimento particular e também por não conseguir fazer-me compreender...

Se estivessemos no tempo da Cruxificação, eu por ti, teria lá minha cruz e você já tinha atirado a primeira pedra. O que me alenta, é que o meu lugar é o da cruz... O teu... não sei. Não vejo de onde vem a pedra...És um Anónimo....

sábado, 27 de setembro de 2008

Frase do dia!

Quem merece as suas lágrimas,
Nunca lhe fará chorar!...

(Autor desconhecido)

Gargalhar! Levantar e sorrir!...

Nada como dar umas boas gargalhadas!

Rir é a minha terapia de beleza. Consigo evitar as tais doenças psíquicas, como a depressão, falta de auto-estima, medos, fobias, paranóias e stress. Sou otimista por natureza.

Apesar de ter tido minhas decepções quando era criança, consegui pensar como "Poliana", a menina do faz-de-conta. E tudo aquilo que eu não não podia ter, fazia de conta que tinha de outra forma. Quando deprimia-me, tentava não pensar muito no assunto, não especular, nem imaginar o mal que alguém me tinha feito, ou melhor, não desenvolvia o sentimento de tristeza para que não me afundasse ainda mais nela.

Quando entrei na adolescência, passei por todos os infortúnios comuns da idade. Amigos considerados, que afinal provaram que não mereciam a minha amizade; amores não correspondidos; dificuldades em superar uma matéria escolar; problemas familiares; ingresso na vida profissional, acompanhada por medos, enganos e exploração salarial; etc. Fui aprendendo a olhar por fora, calcular o assunto com alguma frieza e sorrir para a "anedota da vida"...

Pensava eu... «Isso só pode ser uma brincadeira de Deus... Não deve estar a se passar comigo. Deve ser um pesadelo. Amanhã, quando acordar vou ver que afinal tudo já passou...». Ia assim brincando e tentando "avacalhar" a chatice do momento.

Consigo superar meus problemas assim desta maneira. E quando vejo que não conseguirei sozinha, compartilho com um amigo (a). Converso, relaxo e no final termino por rir de mim mesma.

Por vezes dou uma boas gargalhadas. Procuro ver filmes hilariantes e me deixo descontrair. Produzo minhas endorfinas que me dá uma sensação de prazer e felicidade. Nesta altura procuro pessoas que estão com depressão para ajudá-las a se auto-definir superando a tristeza. Mas quando estou em baixo (por ser humanamente natural, quando não há um motivo plausível), não me aproximo delas. Não valeria a pena para nenhuma das partes.

... Me sinto cada dia mais bonita. Até barriga já perdi com as abdominais do riso. Já reparou que rir, até sem som, mexe o abdomên?. Não tenho rugas nenhumas em plena idade dos quarenta e sete. Minha pele é oleosa, o que me ajuda a conservá-la. Mas toda a cara insiste em rir... até o meu jeito de olhar, se nota que estou rindo. Adoro meu estado de espírito.

Há dias que me sinto lindamente acompanhada por espíritos amigos. Faço uma pergunta em voz alta, e se obtenho logo a resposta, mesmo que seja enquanto procuro um objeto em casa... se encontro de imediato, solto um beijo para o lado e digo... «Muac! Obrigada, meu querido (a)!». Continuo na brincadeira, e vou me divertindo sozinha.

Não custa nada rir. Trabalho 14 músculos da minha face, se rir. E 365 quando me deprimo. É muito músculo a endurecer e envelhecer... Não vale a pena o esforço!!

Por isso, LEVANTA E SORRIAAAAAAAAAA!!!

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Pense...

Nada é por acaso!...
Nada!
Absolutamente "nada",
acontece por acaso!...

O "acaso" é o conjunto de factos sem causa aparente que determinam um acontecimento e ao mesmo tempo é um acontecimento cujas causas se ignoram.
Se nada é por acaso, não podemos ignorar nem um segundo da nossa vida.
Preste bem atenção!...

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Eu caçador de mim...

Enquanto Milton Nascimento canta...

Por tanto amor, por tanta emoção, a vida me fez assim.
Doce ou atroz, manso ou feroz... Eu caçador de mim!
Preso a canções, entregue a paixões, que nunca tiveram fim, vou me encontrar longe do meu lugar... Eu, caçador de mim!
Nada a temer senão o correr da luta. Nada a fazer senão esquecer o medo...
Abrir o peito à força, numa procura. Fugir às armadilhas da mata escura...
Longe se vai, sonhando demais. Mas onde se chega assim...
Vou descobrir, o que me faz sentir... Eu, caçador de mim!

Respondo com sua outra canção...

Amigo é coisa para se guardar, debaixo de sete chaves...

E para ser caçador de si, melhor com um amigo ao lado. Um amigo que lhe dê a mão para andar, um braço para lhe sustentar, um ombro para chorar ou dormir, um ouvido para lhe ouvir, uma boca para partilhar segredos contigo ...

Cative o seu amigo. É o seu tesouro!..

Bem haja!

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Nossa raridade...

Não há como saber se esta vida é sonho ou realidade...
Quando estamos dormindo, sonhamos com ambientes e pessoas desconhecidas.
Quando despertamos, lembramos de situações anteriores que por vezes temos dúvidas de ter mesmo vivido.

Não há como saber se esta vida é sonho ou realidade...
Acordados, passamos por momentos que não queríamos passar.
Dormindo, vivemos histórias em lugares paradisíacos com pessoas que amamos.

Não há como saber se esta vida é sonho ou realidade...
Se é bela aqui, é bela lá...
Se é má aqui, será má, lá...

O que determina a nossa pessoa e o lugar que vivemos?
Nós determinamos.
Nós e toda a raridade daquilo que somos...

Joice Worm

domingo, 21 de setembro de 2008

Questão de opção...

O tempo pode passar, pode querer modificar nossa aparência,
mas sei que um sorriso e uma amizade
só podem desvanecer-se se for esta, a nossa opção!
(Joice Worm)

The sound of music /Brasil (A noviça rebelde)/Portugal (Música no Coração)
40 anos depois...




sábado, 20 de setembro de 2008

Já volto!

Depois da festa, estou demorando de escrever?
...Mas segunda-feira tenho coisas para contar.
Vou viajar.
Vou ali e já venho...

LEVANTA E SORRIIIIIIIIIA!!!...

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

47 ANOS !!!!!

REPITO AQUI O MESMO POST DO ANO PASSADO... RELENDO, VI QUE NADA MUDOU.
NEM OS CABELOS BRANCOS QUE SE SOMAM, CONSEGUIRAM TIRAR DE MIM A ALEGRIA...
NEM OS PROBLEMAS QUE PARECEM POR VEZES MONSTRUOSOS, TIRARAM DE MIM A ALEGRIA.
SOU JOICE WORM!
A FILHA QUE DEUS MANDOU COM UM OBJECTIVO TÃO PRÁTICO COMO... AMAR!!

17 de Setembro... Hoje completo 47 anos de nascida. Carne e osso... pois de alma tenho mais uns milhares... E sempre com boa aparência!

Já devo ter sido preta, branca, amarela ou rosa... agora sou marron (risos). Já devo ter sido homem, mulher, ou transexual... Já devo ter sido rica e pobre... Feia ou bonita... Burra ou inteligente... Boa, má ou péssima...Não sei... Não tenho certeza, mas sinto dentro da minha alma a força latente de nesta vida querer ser o melhor possível dentro da Ética.

Quero conseguir gostar de tudo como na realidade existe e além de gostar, ultrapassar meus limites de afeto e doar-me toda e completamente para quem precise (no bom sentido... não desvie o assunto!).

Quero completar todos os anos de duração da minha missão e vencer na meta final, chegando sem falhas... Deus me ajude!!.

47 anos de experiência, infantil (tanto quanto foi... e ainda me resta alguma inocência...), adolescência, que adorei!!! E me recordo de tudo..., Maturidade, que ainda está sendo e gozo cada bocadinho... e finalmente a caminho da velhice.... Mas, esta...Está longe meu amigo! Velhos são os trapos. E eu não vou envelhecer nunca!! Só por fora... Claro!! Pensa o que? Que devia fazer uma plástica? Nann... Minha plástica faço todos o dias...

Sorrindo... Sorrindo... Sorrindo... Sorrindo...
Por este motivo, me adoro!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

O que me faz a lua

Quando o sol deixa de me aquecer e iluminar,
A lua, levanta lentamente para me inspirar.

Quando meu coração parece chorar.
Meus olhos brilham, contando segredos.

Escapa a angústia
Sai de mim, água salgada e cristalina...
Me adocica a alma,

Me acalma.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Mãe preocupada...

Tenho um filho chamado EUROS
Mas o danado nunca está em casa.

Por acaso ele está aí?
Se estiver, diga-lhe que preciso muito dele, aqui.
Mas, que não lhe deixe sem a entrega que foi fazer.

Ô menino levado... Está sempre fugindo!!

Tenho saudades quando ele andava perto de mim,
Dentro da minha bolsinha de moedinhas,
Dentro da minha carteira de couro,
Dentro de uma calça jeans, todo enroladinho,
Dentro de um livro, fazendo de marcador...

Até tenho saudades de entregar uma parte dele no supermercado.
Ou em alguma loja de electrodoméscticos. Há coisas que fazem falta.

Volta meu filho, volta. A mamãe tem saudades de ti.
Volta EUROS. Nem imagina a falta que me fazes...
Filho amado, querido da minha vida... tu,tu,tu,tu...
Onde estás...

sábado, 13 de setembro de 2008

O bom porto.

By nagual78

Cheguei a bom porto.
Saímos todos em silêncio.
Não estávamos vestidos. Era como se não houvesse necessidade.
Não havia vergonha, porque não havia motivo para se envergonhar.
Não falamos, pois não havia motivo para falar.
Não nos miramos, porque o único que queríamos ver, estava a nossa frente.

Silenciosamente, pedimos...
Cada um formulou um desejo.
A luz aumentou de intensidade.
Retornamos...

Não sei onde fui, nem para onde vim outra vez.
Mas por certo que cheguei.
Mais iluminada, talvez.

Joice Worm

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Dolce vita!

Piuuuuuuuu... Chegou o barco da alegria... Não entendo porque está vazio...
Vou entrar assim mesmo...
Oláaaaaaaa.... Tem alguém aí?

SURPRESAAAAAAAAAAAAA!!!

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Depressão a espera do barco da alegria...

O que venha a ser a depressão? E o que é um momento de depressão?
A depressão está ligada à ansiedade?

Estas perguntas só lembramos de fazer por dois motivos: Ou estamos passando por isto, ou conhecemos alguém que neste momento está sofrendo de tal maneira que não consegue se ajudar sozinho, daí o motivo de o ter procurado.

A depressão é portanto o ponto mais baixo da tristeza interior. Quando chega, e no primeiro momento, não adiantará muito ter amigos, familiares ou mesmo psicológicos, para tentar ajudar em palavras, este período de afundamento espiritual.

Esta sensação é tão única e tão irresponsávelmente nossa, que não pensamos sequer pedir ajuda a ninguém. Ficamos ali, mergulhados em coisa nenhuma, pensando absolutamente nada, para ver se o tempo passa e nos "esquece"!

No fundo a intenção não é morrer. Mas sim, parar! Parar de pensar, parar de fazer o que fazia, deixar de se relacionar... Simplesmente ficar ali, parado a contar os botões, a fazer caracóis com os próprios cabelos, mexer um dedo do pé e passar horas a olhar o movimento... Enquanto se deixa ir....

Parece à partida, uma coisa simples e inofensiva, mas não é!. O perigo de se deixar levar pela depressão é o de não conseguir retornar ao que era antes. Tornar-se uma pessoa amarga e infeliz.

Tristeza mata. E não perdoa o passado. Lembra de tudo aquilo que não vale a pena. Maltrata com projectos que nunca foram realizados, lembra de amores não conquistados e os que foram perdidos. A tristeza se encarrega assim de começar a matá-lo!

O luxo de se sentir em depressão deve ter um limite máximo de 24 horas. Se possível. 48 se não houver jeito... Mas depois você tem que assumir todas as posições de retorno. Será como esperar um barco atrasado. E quando ele chega, não se pode perder a viagem.

E a seguir, saíra de uma vez para uma NOVA AVENTURA!

... Já estou esperando meu barco há 28 horas... Já deve estar quase a chegar!
Minha ansiedade cresce, minha esperança descança, mas não vou perder a próxima viagem!!

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Mudando de assunto...

Vamos lá mudar de assunto... Agencia de Viagem e regras de bilhetes:

Hoje soube de uma coisa que é bom que vocês saibam. Se um dia viajarem de avião dentro de Espanha ou dali para fora, prestem bem atenção se o seu nome está bem escrito. Aqui geralmente utilizam o nome e o segundo sobrenome (apelido) e não o último como por exemplo eu escrevo... Joice Worm.

Um cliente, por ter dado o último sobrenome sem querer, agora não vai conseguir viajar se não mudar para a forma correcta. Só viu o erro depois do bilhete emitido. E para corrigir, vai pagar por multa, 215 euros. E se desistir de viajar a multa será bem maior... E se não pagar, alguém, por exemplo, a Agencia, tem que assumir o erro pelo cliente...

Madre mia...

Amanhã teremos o desfecho.

domingo, 7 de setembro de 2008

Libertação

(ou o Despertar da Alma)

Quando superamos o que nos oprime vencendo o medo, nos sentimos livres!
E os motivos de servidão, que nos faz obedecer ordens em troca de baixos subsísdios para viver, se tranformam em força para a mudança.

(Joice Worm)

sábado, 6 de setembro de 2008

Sobre poder e ideal? Ou talvez não...

Quando o mundo foi criado, sabia que só os animais faziam perseguições às suas presas, mas por uma questão de subsistência.
Até hoje, depois de estudar sobre a história da humanidade, não compreendo para que o homem tem necessidade de adquirir poder e terras, anulando os seus semelhantes. E me custa ainda mais, quando ouço falarem que é em nome de Deus...
Se Deus, manda matar, como pode qualquer religião achar que Ele é bom?
Por estes sentimentos é que não há religião que me faça mudar a angustia que me dá tantas diferenças de oportunidades e tanta atrocidade.
Todos somos diferentes e todos iguais. Quantos "Hitlers" todavia ainda vão existir a fazer limpeza de etnias e ideologias... Quantas religiões mais existirão para convencerem a pequenos grupos que eles é que estão certos?...

Que cansativo!
Não seria mais fácil apenas obedecer o "Amarmo-nos uns aos outros"?

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

À todos os nomes...

Sinta...
Sinta a música, dance comigo...
Deixe que penetre na sua alma e sinta a força desta canção.
Dance, dance, dance...
Mas dance devagar.
Não tenha pressa.
A música de qualquer forma continuará dentro do seu coração,
mesmo na minha ausência.

Este é o milagre que eu farei em ti.
Quando estiver triste,
feche os olhos, ouça a música
E dance...

(de Joice, para todos os nomes...)

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Nostalgia...

… E por falar em viver em outro país, também já fui embora de Portugal. A crise o comeu, quase todo. O povo anda inquieto e as oportunidades se escassiaram, andamos um passo à fronteira. Espanha também está em crise, mas a política é outra, os cuidados com a saúde e a educação se diferencia… Tenho pena que depois de 20 anos, Portugal esteja tão aquém. Um dia volto ao Brasil, já velha. Este também não vai bem, mas tenho o amor da família, praia e alegria…

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Mensagem de uma amiga

E por falar em amar o mesmo gênero, há amores que não tem nada a ver com sexo. Há amores que nasce da mais pura e singela vontade de gostar de acompanhar, ajudar, confidenciar, participar... como diz um padre no matrimônio, na alegria e na tristeza, na sáude e na doença...

Ser amigo, é amar como a ti mesmo.

Recebi este carinho de Márica Carvalho, que conheci pela internet há dois anos ou sei lá... Não fiz contas. Nunca a vi, mas já falamos ao telefone, e esta amizade cresce dia após dia... É uma delícia. O mesmo se passou com Lu, Denise, Marcos, Fernando, Carlos, Carlitos, Carolina, Antônio, Tâmara, V. Carlos, Tiago y Neuza. Não preciso escrever os sobrenomes, cada um sabe quem é... Adoro-vos!

------
Joice!

Toda amizade é uma história particular de conquista. Primeiro, descobre-se o outro. Todo mundo parece igual, mas não é. E é justamente essa coisinha diferente em cada um que torna cada pessoa única. E de repente ali está a sementinha da amizade fecundada. A gestação começa. A sensibilidade do outro nos toca. Não sabemos direito o porque de nos sentirmos próximos de alguém assim tão longe, tão diferente e tão igual. Mas amizade, como o amor, não se questiona. Vive-se. Bendita seja essa gestação amiga. Sem prazo, sem tempo, sem hora marcada. Bendita seja essa amizade, prova de queDeus se faz conhecer através das pessoas que alcançam nosso coração. Que benção que te encontrei...Bjs amiga querida,


Márcia Carvalho

Obrigada Márcia, estou para lá de emocionada...
Nem sempre a internet é prejudicial. Depende de quem acolhe e usufrui deste meio informático tão maravilhoso, principalmente para os puros de coração.
Bem Haja!

Joice

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Amar o mesmo gênero

Falar deste tipo de tabu, por vezes não é fácil. Depende do entendimento e aceitação de cada um. Quanto mais distante estejas da realidade, mais custará a aceitá-la. Os tempos mudam. E com ele, mudam-se os valores. Não tem a ver com idade. Tem a ver com sentimentos.

Mesmo que a moral tente por todos os lados controlar as atitudes, o ser humano tem lívre arbítrio e sabe a partida o que quer. Seu objectivo é claro e seus sentimentos fiéis ao seu coração. Daí, segue sem se incomodar com o que pensam os outros.

Se não consegue amar quem gostaria, entra em frustação, reprimi-se e deprecia-se. Jamás conseguirá viver em paz...