sábado, 25 de agosto de 2007

Regressão Onírica

Não sei onde me encontrava. Mas sabia que não estava sozinha.
Vi uma coisa incrível acontecer. Parecia que as árvores daquele lugar não queria mais estar ali. Vi como elas se movimentavam e subiam os montes de terra que estava em volta, mas estava tão cheio de lama que elas escorregavam de volta para o mesmo buraco.
Chovia muito e de vez em quando, aparecia não se sabe da onde, uma onda feita de lama que estava sempre a me salpicar. Fiquei incomodada e perguntei onde poderia me limpar. E antes que me dirigisse para o local, a onda pegou-me quase em cheio e fiquei ainda mais suja.
Finalmente cheguei no lugar onde poderia lavar-me e lá já estava um homem e uma criança a fazer o mesmo. E pensei que a água também estivesse suja, pois a proporção que o homem (vestido com as suas roupas) molhava-se, a água que saia do seu corpo era vermelha.
Fiquei em dúvida se continuava suja ou se arriscava me limpar com aquela água. Não tinha muitas hipóteses. Fiquei a espera da minha vez a olhar ansiosamente para o jorro de água branca que saía do cano.
Acordei...

7 comentários:

No Limite do Oceano disse...

Falas de regressão...tenho receio do que poderia encontrar caso fechasse os meus olhos e abrisse a porta dum mundo desconhecido.
Talvez não fosse ver o jorro de água branca, nem se calhar iria ver o limite do meu oceano, mas tenho a certeza que pelo menos uma peça do meu puzzle iria ser encontrada, e ao abrir os olhos, o que iria fazer seria colocar na minha mente a peça (ou as peças) que a porta que abri me deu!

Estou acordado, ainda não fechei os olhos...

*Hugs n' smiles*
Carlos

JOICE WORM disse...

Tenho tido sonhos incríveis esta semana Carlos, mas atribuo isto ao factor psicológico de querer vender a nossa casa e mudar de País. Estou um pouco cansada, ansiosa e sonho com um futuro que já deve estar próximo dos meus desejos... Daí, surge alguns medos, receios e fraquezas, é humano.
Vou impedindo que tais monstros se alojem em meus pensamentos e escrevo para escaparem da minha cabeça!
Das regressões, já fiz 3 sozinha, deitada em minha cama. Já fui parar em 3 lugares diferentes, mas não encontro ligação com ninguém que conheço nesta vida. Só sensações de desconforto como, um vez que me vi no meio de um incêndio em que me salvei em cima de um telhado... Durou 2 a 3 minutos, mas foi incrivelmente real.

No Limite do Oceano disse...

Joice eu também gostaria de mudar, não de país mas de lugar, e talvez os sonhos sejam a forma mais prática e rápida de poder sair de onde estou sem ter o fardo que é ter que lidar com as consequências de uma decisão. O desconforto é algo real, mas e o sonhos não o são?

CarLitos disse...

olaaa Joice =) obrigado por comentares o meu blog (que empobrece de comentarios =( ). Fico feliz por saber que a minha escrita é valiosa e satisfaz muitos leitores como a Joice. Vou adiconar o seu blog à minha lista.
Por vezes temos que responder à vida com gargalhadas e palavras daquele genero! Pode nao ser revolta. Talvez indignaçao por uma serie de coisas... =s a vida ensina-nos e a nós custa-nos a aprender... Mesmo assim caímos no erro twice! =s Vamos lá perceber isto...

Um abraço Carlitos =)

JOICE WORM disse...

Os sonhos é uma dádiva e sabe porque? Ganhei na loteria por causa dele. Pena que foi só 12 euros, mas já é um começo. Sonhei com leão (16) e como estou feita avestruz (2) e custo a decidir o meu futuro como um burro (3). Joguei no Euromilhões. E ganhei em 1 número e 2 estrelas... ha, ha, e essa?

JOICE WORM disse...

Obrigada Carlitos pela adição na sua lista. E gosto sim de visitar o seu Blog. Sinta-se querido! E continue desabafando. Mas nunca se sinta no tédio, porque escrever sentimentos é o máximo. Leio muito o "limite do oceano" do Carlos também e adoro.

CarLitos disse...

=) sinto-me querido por saber dar bom uso as palavras quando os sentimentos querem falar!! Não me envergonho disso porque sou assim... Esta é a minha natureza!! =)
Se continuar a sonhar, pode ser que um dia fique rica, hein?! =)