quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Sono

Ela quando acordou disse logo para si mesma que ainda tinha sono... Não queria levantar-se da cama. Pensava na vida, pensava no dia anterior, pensava nos erros do passado e tentava compreender o presente...
Do futuro, nada sabia. Nem tinha vontade de saber, pois no estado psicológico em que se encontrava, o futuro lhe parecia pouco feliz. E não se deixou levar.
Levantou a contragosto e escovou os dentes, penteou os longos cabelos, olhou-se no espelho e viu... uma cara entristecida pelo tempo, uma mecha de cabelos brancos que não conhecia e um sorriso sem graça.
Olhou nos olhos do reflexo do seu rosto no espelho e como hipnotizada, conseguiu entrar no corpo daquela imagem e viu lá por dentro recantos de diversas categorias... Um jardim, florido e colorido, e um banco com um livro abandonado... Um outro jardim, em preto e branco, e uma série de livros abandonados pelo chão... Um barco com alguém a dormir lá dentro enquanto o mar levava-o devagarinho, devagarinho... Uma coruja a sobrevoar um ninho de águias... Uma multidão em torno de alguém que ganhou na loteria... Uma casa a beira-mar, com muitas janelas que só dava para a frente... Um horizonte com duas luas, um farol e uma imagem... Ela própria a acenar de longe...
Voltou ao seu estado natural e viu-se outra vez no espelho.
Ainda estava ali. Viva e sem vontade de fazer nada... A isto chamou de "depressão".
... Sem pensar em mais nada, voltou para cama e dormiu...

.......................

Para mis letctores españoles... una tentativa de tradución...

Sueño

Cuando ella despertó dijo inmediatamente a sí misma que aún tenia sueño... No queria levantárse de la cama. Pensaba en la vida, pensaba en el día anterior, pensaba en los errores del pasado y tentaba comprender el presente...
Del futuro, nada sabia. Ni tenia voluntad de saber, pués en el estado psicológico que se encontraba, el futuro le parecia poco feliz. Y no se dejó levar.
Se levantó a contragusto e cepilló los dientes, peinó sus largos pelos, miróse en el espejo e vio... una cara entristecida por el tiempo, una mecha de cabello blanco que no conocía y una sorisa sin gracia.
Miró en los ojos del refejo de su rostro en el espejo y como se estuviese hipnotizada, conseguió entrar en el cuerpo de aquella imagen y vio adentro recantos de diversas categorias... Uno jardín, florido y colorido y una silla de jardín con uno libro abandonado... Un otro jardín, en negro y blanco y una série de libros abandonados en el suelo... Uno barco con alguien dormindo en su interior mientras el mar lo llevaba despacio, despacio... Una lechuza volaba sobre un nido de águilas... Una multidón alrededor de alguien que habia ganado la loteria... Una casa en la orilla del mar, con muchas ventanas que solo miraban la frente... Uno horizonte con dos lunas, una antiniebla e una imagen... Ella propria haciendo señas de lejo...
Volveó a su estado natural y se miró otra vez en el espejo.
Aún estaba allí. Viva y sin voluntad de hacer nada... A eso llamó de “depresión”.... Sin pensar en más nada, volvió a la cama e dormió...

4 comentários:

No Limite do Oceano disse...

Voltar para a cama quando antes nos vimos ao espelho e estar deprimido é tentar tapar o sol com um enorme lençol preto...um acto impensável sem um final feliz.

O sono deve ser dormido apenas quando ele aparece, não se deve forçar o seu aparecimento...milagres acontecem quando menos esperamos. Que tal sair da cama, abrir a porta da frente de casa, olhar o céu...não importa se faça chuva, ou sol, se está nublado ou que alguém tenha esquecido de fechar a janela do próprio céu...o vento...talvez quando se caminha para uma depressão, a cama não é a melhor amiga, nem o espelho e muito menos o nosso reflexo...

...Esperamos sempre ser alguém com um sorriso estampado na cara sem ter problemas a rondar a nossa fortuna…mas o problema é o sol ser uma estrela gigantesca e não dá para o esconder...saltar da cama e olhar o céu.

As nuvens podem ser um escape, elas ganham formas concretas.
É só usar a imaginação, como fiz agora mesmo pegando no teu texto :-)

*Hugs n' smiles*
Carlos

JOICE WORM disse...

Escrevi como se fosse o meu estado de espírito a princípio e depois resolvi cirar a personagem. Não voltei para a cama, nem me deixei deprimir, mas confesso que se não tivesse escrito aqui no Blog, talvez nem desabafasse este sentimento de introspecção... Mas, não só olhei as nuvens, como brinquei com a cadela, fomos beber uns copos com os amigos... E a vida continua amigo. Amanhã vais ver o meu astral!!

CarLitos disse...

Dormir é bom!! =) mas melhor melhor é nao dormir quando nao se tem sono!! =) forçar o sono so provoca dores de cabeça!! quando for assim, esmigalha a tal fatia de bolo, mas NATURALEMENTE!! =)

JOICE WORM disse...

Já vi que este "bolo" vai começar a fazer parte da minha terapia de vida... Vocês tem razão. E dormir é tão bom que não convém estragar a boa hora!! jokas.