sexta-feira, 12 de junho de 2009

Carta a uma amiga...

Quem me dera pudesse ter visto sua mensagem antes para não me demorar tanto a responder... Mas por sorte, hoje foi a primeira que li.

Obrigada por partilhar o seu segredo particular. Fiquei lisonjeada.

Também sou mulher e tenho meu marido há 23 anos. Ainda tenho 48 (quase) e ele também. Casamos com a mesma idade. Temos duas filhas que são um milagre da natureza. Muito especiais.

Queria que pensasse em vocês como sendo as mesmas pessoas do início. Um verdadeiro amor não se acaba, nem se engana. Tenho certeza que vocês podiam conseguir juntos manter esta cumplicidade que partilham a tanto tempo, P.

Dificuldades financeiras todos nós temos. E agora em tempos de crise, só se aguentará quem tiver dicernimento e um companheiro para ajudar a palmilhar os caminhos mais terríveis... Não é impossível.

É preciso coragem e "vontade".

O que tens que fazer é conversar com ele p'ra que você possa concluir que ele também tem vontade de conseguir avançar contigo. Digo, na sua companhia. Hoje em dia ninguém pode se enganar para depois de muitos anos dizer ao outro que nunca foi feliz. É a pior coisa que um ser humano pode ouvir de um companheiro. E nenhum dos dois merecem.

Disse-me que sua relação dura 7 anos. Conhece as crises de um casamento? (mesmo que não sejas casada), existe a dos 7, a dos 10 (a mais terrível. Esta é a prova de fogo) e a dos 20 (já mais branda. Normalmente já não temos vontade de separar, talvez por acomodação) e depois tudo se transforma em puro amor e companheirismo com alguns naturais altos e baixos.

E vocês andam nos 7... Se gosta mesmo dele e a recíproca é verdadeira, não deixe que o materialismo e as imposições da sociedade destruam aos dois. Vá por mim. Só vocês sabem se vale a pena continuar juntos. Mas por vocês, não por não ter dinheiro em comum... Se pensar bem, não tem lógica.

Estou torcendo para que superem esta fase, P.

(Minha experiência neste setor é autêntica e nós conseguimos superar lindamente!)

Joice Worm

... e foi assim que respondi a um desabafo comun. Quem não sofre por amor?...

3 comentários:

Vivian disse...

justo no dia dos namorados
leio este triste desencontro
de amor.

amor?

amor não permite desencontros.
não permite vacilos e fugas
em meio a tempestades.

amor quando é AMOR,
se faz forte,
se faz sólido como uma
rocha milenar.

fora isso...
vejo como paixão.
e paixão não segura
tempestades,
porque é feita de fogo.
e fogo se desfaz
em meio as águas
turbulentas.

um beijo, querida minha!

saudades...

Gilbamar disse...

Que o amor perdure em seu abençoado lar minha amiga Joice. No dia dos namorados, você e seu marido vivam a essência do amor.

Grande abraço poético do amigo Gilbamar.

Luciano disse...

Não é fácil amar.. Mas que o amor prevaleça viu?
Bjs
Luciano

PAPIROS DE ALEXANDRIA - O Blog mais Mediocremente letrado da Internet

http://papiros.zip.net