sábado, 8 de setembro de 2007

Luta Inglória

Por vezes, corre-me uma veia poética, e meio cambaleante escrevo... e com coragem, divulgo...

Luta Inglória
Joice Worm (02.Abril.2007)

A mão de ferro que esmaga,
Está sempre preparada
Para exercer a sua força
Contra o seu objecto de opressão...

Esta mesma mão de ferro
É aquela que outrora
Afagou, mimou e persuadiu
Convencendo o seu objecto com ilusão.

Levanta-te guerreiro!
Naõ se deixe abater
Já foste iludido,
Já foste enganado,
Agora resta-te a alma,
Resta-te a sua força interior.

Pega na mão de ferro,
Queima-lhe no mais alto grau de temperatura,
Derrete-lhe até formar uma espada,
E luta contra seu inimigo
Com a mesma arma que
Ele investiu contra ti.

Também aplique a receita
ao amor...e quando a mão de ferro
Vier em forma de carinho...

Devolva-se dissovido totalmente...
E desfrute...
O melhor desta luta!!

3 comentários:

Anónimo disse...

Só mesmo num momento de inspiração é possivel escrever algo tão belo. Parabéns. Siga em frente poetisa. Bjs do amigo, Virgílio

peregrina disse...

Lindísimo... es tan lindo leerte en tu lengua. tiene una música especial, que no sé si fuera igual en español.
Un beso talentosísima poeta.

JOICE WORM disse...

Gracias a los dos, además Virgílio y Pergrina como vosotros és muy dificil superar...