sexta-feira, 11 de abril de 2008

Brumas e Homem

Enquanto as brumas (mistério e incertezas) do mar batem nas rochas suavemente, os homens na terra, batem-se uns aos outros violentamente.

Mas quando as brumas do mar, se transformam em mão palmatória,
não há um só homem que esteja ao seu alcance, que não se arrependa.

Enquanto os que ficam, se sentem culpados,
os que foram, jamais serão esquecidos

E as brumas do mar, voltam a ser brandas...
E com o passar do tempo, os homens da terra, voltam ao mesmo...

É o círculo vicioso da natureza e da humanidade.

Sem comentários: