quarta-feira, 2 de abril de 2008

Ponto de vista

- Como te chamas?
- Fulano de tal. E tu?
- Cicrano
- Humm... Você trabalha ou estuda?
- Nem uma coisa, nem outra. Sou um artista. Vivo do ar que respiro e alimento-me com a beleza da natureza.
- Humm... Tens horas?
- Não. Meu relógio é o tempo de vida que me resta.
- Eh... Humm... Então muito prazer em conhecê-lo, mas tenho que ir. Tenho pressa. Tenho que trabalhar, tenho que ganhar dinheiro para pagar minhas contas e meus impostos. É pena não poder conversar contigo, mas minha família é numerosa e me aguarda. Passe bem. E boa sorte..
- Adeus, ilustre desconhecido. A sorte me acompanha por onde quer que eu ande. Estou sempre feliz e não tenho preocupações. Vivo todos os dias como se fossem os úlitmos e navego pela vida como um barquinho a deriva que contempla o sol e a lua...

(O outro já ali não estava... Mas Cicrano continuou a falar, sozinho, mas satisfeito com a vida que levava. Pois estava em paz consigo mesmo).

Para ele, nem sempre "era uma vez" mas sim, "e tudo começou ..." e com final feliz.

7 comentários:

Ilaine disse...

Que bonito texto, Joice.

Realmente, na maioria das vezes o cotidiano nos toma de tal maneira, que até esquecemos de sonhar. Estamos sempre com pressa.

Tomara que possamos ser como o Cicrano de tua crônica: feliz e em paz.

bj

conhecimento disse...

MUITO BONITO e como tu és Linda!! BOM FIM DE SEMANA.

Jacinta disse...

Pois é
se levássemos em conta "olhai os lírios dos campos", quem sabe poderiamos aceitar que se pode ser humano sem necessariamente viver em grandes competições, sempre.
Quem sabe um pouco de simplicidade.
Bjos

No Limite do Oceano disse...

Adorei o teu ponto de visto. Afinal não temos todos um? E por mais nebluso que seja há dias que o sol espreita por entre ele.

Finais felizes é tudo o que mais queremos mas quando os tenhos será que há mais qualquer coisa a desejar-se? Eu acredito que sim...

Mil abraços e sorrisos :- )

Carlos

Madalena Barranco disse...

Olá Joice, me "apaixonei" pelo Cicrano e confesso que às vezes dou uma de Sicrana - hehehe! Seus minicontos são elucidativos e agradáveis. Beijos.

CarLitos disse...

tu estás a tornar te numa boa escritora...:)
.
.
. e eu preciso muito de falar ctg... =(

JOICE WORM disse...

Este texto, assim como todos os que escrevo, são espontâneos e geralmente escrevo directamente para o Blog. Nem imaginam as vezes que já perdi memórias, por bloqueios... É melhor nem lembrar.

Faço aqui um agradecimento aos comentários que fizeram. E uma reverência com a cabeça baixa e a mão no peito. Muito obrigada por gostarem amigos...