quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Foi Deus.

ESTA MÚSICA É IRRESISTÍVEL !!
E cantada em português por uma fadista, é simplesmente maravilhosa!
(Desculpem-me a nostalgia... Mas queiria descontrair me deleitando a ouvir música. Muac!)

http://www.youtube.com/watch?v=N3UiWk_pZD8&feature=related

Foi Deus
(Música de Nelson Gonçalves - Cantada por Carla Teles)


Não sei
Não sabe ninguém
Porque canto fado
Neste tom magoado
De dor e de pranto

E neste tormento
Todo sofrimento
Eu sinto que a alma
Cá dentro se acalma
Nos versos que canto

Foi Deus
Que deu luz aos olhos
Perfumou as rosas
Deu ouro ao sol
E prata ao luar

Foi Deus que me pôs no peito
Um rosário de penas
Que vou desfiando
E choro a cantar

Pôs as estrelas no céu
Fez o espaço sem fim
Deu luto às andorinhas
Ai deu-me esta voz a mim

Se canto
Não sei o que canto
Misto de ventura
Saudade, ternura
E talvez amor

Mas sei que cantando
Sinto mesmo quando
Se tem um desgosto
O pranto no rosto
Nos deixa melhor

Foi Deus
Que deu voz ao vento
Luz ao firmamento
E deu o azul às ondas do mar

Foi Deus que me pôs no peito
Um rosário de penas
Que vou desfiando
E choro a cantar

Fez poeta o rouxinol
Pôs no campo o alecrim
Deu flores à primavera
Ai deu-me esta voz a mim.

7 comentários:

tossan disse...

Linda a tua postagem, boa lembrança. Vc assim faz eu lembrar do meu pai que adorava este fado. Obrigado lembrar de coisas boas faz bem. Bj

Dauri Batisti disse...

Vamos lá. Vamos ouvir. Nostalgia também faz bem... de vez em quando.

Beijo.

Gilbamar disse...

Revolveu no baú de minh'alma fragmentos de lembranças ecoando no tempo e enchendo o peito de tantos sentimentos conflitantes, como melancolia, paz, alegria, emoção, doces momentos...tristeza até.

Mas foi bom recordar com esse fado tão concernente à minha infância.

Abraços.

JOICE WORM disse...

Tossan,
Que bom que lhe fez lembrar ao seu pai... O meu faleceu há dois anos e não me recordo de música nenhuma que ele gostasse. Falava sempre de S. Jorge como santo padroeiro e pouco mais. Era um homem bom, mas de poucas palavras, quando sóbrio. Não preciso dizer mais...

Dauri,
Por acaso gosto de ouvir esta música por causa das frase que coloquei a negrito. É que nesta parte ela canta mais alto. (Já venho).

JOICE WORM disse...

Gil,
Recordar é viver. Não é mesmo... Oh coisa boa!

Filipa Epifânio disse...

Adoro a alma que o fado traz sempre encerrado em cada nota e palavra...

*

neo-orkuteiro disse...

Acho esta uma canção de beleza ímpar, assim nos versos, assim na melodia. A tão lusitana redundância do "deu-me ... a mim" aqui é uma jóia.
Acodem-me naturalmente à lembrança pessoas queridas e lugares de onde tenho saudade quando a escuto ou leio.
Mas é a beleza em si, da própria canção, que me faz dela gostar. O que vem de subjetivo a ela associado, ainda quando de lembrança agradável, não tem o poder de embelezá-la mais, para mim.