quarta-feira, 30 de maio de 2007

Rita e Sofia (1)

- Acho que estou apaixonada, disse Rita para sua melhor amiga Sofia.
- Tens a certeza? Ainda outro dia também estavas e já te desiludistes, lembrou Sofia.
- Mas da outra vez eu estava só encantada com a beleza. Este não é muito bonito, mas é interessante, disse Rita.
- Como é que sabe que este rapaz é mais interessante?
- Por incrível que pareça, ele me pagou um café, pediu o meu endereço de internet e ainda por cima perguntou o que eu ia fazer neste fim de semana. Pareceu-me que tinha se afeiçoado de mim.
- Hum... Pode ser..., disse Sofia baixando a cabeça.

Sofia não tinha tido grandes casos amorosos e neste momento estava sozinha e ao ver a sua melhor amiga apaixonada, temeu que ela passasse pelo mesmo que ela.

- Amiga, só lhe peço que vá com calma. Não se entregue de braços abertos a este rapaz. Vá verificando as qualidades que ele tem e que lhe agrada e não esqueça de sentir profundamente os pontos negativos que ele tiver e que lhe desagrada. Tenho medo que você sofra como eu sofri com os amores que tive na minha vida, acrescentou Sofia.
- Eu te entendo Sofia. Mas se eu não arriscar de vez em quando, posso ficar sozinha o resto da minha vida. O preço do "meu" valor é alto, mas de vez em quando tenho que me valorizar um pouco distraidamente para ver se conheço alguém interessante. Depois, é uma questão de relacionamento e troca de amor. Também já tenho idade para escolher bem o meu parceiro, mas não me importo de passar por alguns perigos para não estar completamente sozinha.
- Ainda bem que pensa assim amiga. Eu sinceramente não estou disposta a sofrer outra vez... não agora que ainda sinto o meu coração apertar, disse Sofia.
- Sabe de uma coisa Rita? Eu também pensava assim, mas prefiro passar por umas novidades... sei lá, que me faça pulsar a vida, do que não deixar que nada aconteça. Não sei se estarei viva por muito tempo e não me sinto à vontade em escolher este ou aquele para namorar... queria casar, mas não encontro nehum homem disponível.
- Não sei... vou tentar pensar como você amiga. Apesar de saber que "antes só que mal acompanhado", também sinto que a solidão é o princípio de um mergulho.

Sem comentários: