sábado, 2 de agosto de 2008

O ar que eu respiro...

Há alguém neste mundo que não se esforce por conseguir alguma coisa?
Há por acaso alguém que nunca tenha passado por uma decepção, um apertão na vida, uma desilusão amorosa, uma discussão que faz saltar lágrimas?

Há alguém neste mundo que não tenha rido às gargalhadas?
Há por acaso alguém que nunca tenha passado uma grande alegria, um abraço apertado e um beijo alucinante, um momento de carinho e afeição?

Há alguém que não tenha respirado o ar que eu respiro?

Se a resposta é: "Não, não há ninguém que não tenha passado o mesmo"

Então digo-te: Acho que somos um só!...

13 comentários:

Marcos Santos disse...

Bom, o ar que você respira está dentro da possibilidade de nunca acontecer de eu respirar, durante as nossas curtas vidas nesse imenso planeta. Talvez quando ele venha a passar por essas bandas de cá, eu já tenha partido há alguns séculos.

Quanto ao resto...está mais fácil de acontecer. Embora a vista de sua janela seja única, assim como a vista da minha e nossos pontos de vista serem diferentes.

Mas acho que a química que rola em nossa mente é a mesma e é essa química que determina nossos sentimentos e a forma como eles nos afetam.

Beijo Grande
do Marcos

JOICE WORM disse...

Marcos,

Químicas... Este ar que se respira e que está em todo lado. Tu respira daí, utiliza-o, põe para fora, envia para mim, eu respiro, utilizo, envio para outros... E assim se segue...
O de ser um só, é figurado, claro.
Seja bem vindo. Quem é vivo sempre aparece!! Adorei a sua visita. Beijosssss.

Índia disse...

Quem nao passou por essas emocoes, frustracoes e tudo mais? Assim eh viver.

Beijao amiga.

Daniel Fernandes disse...

Permita-me comentar estas letras que escreveu.
"Acho que somos um só"
Pois bem, eu tenho a certeza.
Todos sofremos com a fomo, falta de água, com calor, frio, petroleo, etc,etc.
Todos estamos na mesma vida, mas ainda assim nos matamos uns aos outros.

JOICE WORM disse...

India,
Estou em falta contigo. Já faz tempo que não te visito, amiga, mas não te esqueci...
... é verdade. Tudo o que mencionei faz parte de uma vida comum. E assim aprendemos mais ou menos a mesma coisa. Assim penso eu.

Daniel,
Obrigada pela visita. És bem vindo. Este sofrimento e estas alegrias comuns nos faz também compreendermos uns aos outros, não é mesmo? Um abraço pr'ocê!

Daniel Fernandes disse...

Virei mais vezes pois este blog tem conteudo papaz de se ler e reler

mundo azul disse...

Com certeza, Joice!

Somos uma unidade que em determinado momento, fragmentou-se... Uma rede interligada! Qualquer respiro é sentido por todos...

Muito reflexivo o seu texto!

Beijos de luz e o meu carinho...

JOICE WORM disse...

Daniel,
Obrigada, esta noite tivemos uma interacção muito interessante entre nossos Blogs. Um abraço grande para ti!

Zélia,
Belíssima. Adorei seu comentário qdo disse... somos uma unidade que fragmentou-se. Faz-me sentir como um todo unido ao fragmentado.

Aline Romero disse...

Se o mundo todo, de repente, admitisse pra si mesmo que há igualdade nas diferenças... As guerrar terminariam com a rapidez de um sopro!
Ahh, se todos pensassem como você, Joice...!Abraço!

Daniel Fernandes disse...

Obrigada. posso adicionala em meus blogs favoritos?

JOICE WORM disse...

Aline,
Se todo mundo pensasse como eu, era tudo muito cor de rosa e não ia dar muito certo. As diferenças também servem para colorir isto tudo e nos ensina a apreciar outras cores. Tu és linda!

Daniel,
Você do lado de cá já está adicionado. Um grande abraço!

Fernando Rozano disse...

a vida é assim composta de vários momentos, fragmentados ou não, que em determinados outros momentos se conjugam, se entrelaçam, se unem, mas sempre há em algum lugar um outro momento...é um circulo vicioso interminável(?)...para no fim sim, sermos todos iguais. muito reflexivo e denso. meu abraço, Joice.

JOICE WORM disse...

Fernando,
Meu querido amigo, tu és um "gentleman" a comentar. Obrigada por sua opinião. Apesar de não gostar muito de rotina, há "círculos víciosos" que me agradam muito...(risos).
Uma bjka para ti!