segunda-feira, 28 de julho de 2008

Barcos

Aos objectos flutuantes... que morrem solitários.
(mais uma inspiração que tive a partir de uma fotografia do olhar de Fernando Rozano)

Se estão encalhados aguçam a minha curiosidade.
Se navegam aterrorizam a minha frágil alma.
Se o sol lhe fustigam as cores, sofro.
Se a neve derretida não é suficente para alentar a paisagem...
Minhas lágrimas não cessarão de tentar fazer o milagre acontecer,
mesmo que eu venha a sucumbir por esta causa.

Joice Worm

12 comentários:

Lu Cavichioli disse...

Joice linda, tua causa faz de você a nobre mulher que és.

*Solidária

*empática

*única

*especial

bj de além mar da terra brasilis, tua e nossa amada terra.

Monique Frebell disse...

Passei por aki só por curiosidade e gostei, rsrs*

Bjos!

Ilaine disse...

Querida amiga!

Voltei... e estava morrendo de saudades deste cantinho lindo. Linda é você!!! Que foto magnífica da revista.

Barcos... Adoro-os. Aqui há tantos.

Beijos, minha boa amiga!

Ilaine

Fernando Rozano disse...

dizer o quê? vivo a alegria de estar e ser aqui através dos barcos que minhas retinas capturaram e tuas palavras, cada uma delas, fizeram-nos não mais solitários mas solidários. meu abraço carinhoso.

mundo azul disse...

...que belo poema!!! Ele já é um doce milagre...

Beijos de luz e o meu carinho...

xistosa - (josé torres) disse...

Barcos ... que saudade, andam, deslocam-se, deslizam, vogam, transportam-nos e embalam-nos para os cenários que e de sonho ... ( eu que tenho medo de voar).

Seriam necessárias muitas neves e lágrimas para colocar a navegar a barca da vida.

Contentemo-nos com os barcos que vagueiam ao longe ... talvez até na nossa imaginação!

CarLitos disse...

=) também nao sei o que lhe dizer =P

JOICE WORM disse...

Lu,
Se eu fosse chorar por força a lutar por minhas causas e a dos meus amigos, acho que tínhamos todos que viver em barcos... Haja água!

Monique,
Aproveitei para tomar um cházinho contigo lá no seu espaço e digo-te que é muito especial! Bjks.

Fernando,
Tu és culpado desta minha inspiração. Adorei a sensação de penetrar na tela e viver um momento fotográfico...
Amigooooooooo! Tu és 10!!

Mundo Azul,
Obrigada, queridíssima. Também gostei deste momento de poema. Sem vaidades. Apenas por me sentir bem cada vez que leio... Bjs pr'a ti.

Torres,
Você tem medo de voar e eu de navegar... Nem sei como escrevi que choraria para devolver a água aos barcos solitários... Há destas coisas na vida.

Carlitos,
Escrevi-te hoje por mail. Já viste?

No Limite do Oceano disse...

Joice acabei de escrever sobre palavras a boia no meu oceano e agora falas de objectos flutuantes que morrem solitários...há milagres todos os dias, nem sempre os vemos mas eles estão lá à nossa espera...

*Hugs n' smiles*
Carlos

JOICE WORM disse...

Carlos... oceano em férias...
Nada é por acaso. Já tinha eu escrito quando você começou a pensar vim aqui escrever... Assim é a filosofia das ondas do mar. Horas vai, horas vem...
Boas férias, amigo!

Denise disse...

Joice
Sempre estás inspirada e alegre assim?
bjs

JOICE WORM disse...

Deni,
Ai a inspiração e a alegria... Adoro ambas, mas não, nem sempre sou assim. Quem me dera. Digamos que sou a 80% de cada um destes momentos. Já não é mal. Deixo os outros 20% para a depressão e a tristeza, senão como podia valorizar os melhores momentos?
Te adoro, Deni! Bejs aí em casa.