segunda-feira, 21 de julho de 2008

Divagações monetárias...

Mais uma vez o dinheiro... Estive respondendo a quem comentou no meu post "Dinheiro" e não resisti a transcrever e continuar a desenvolver aqui o assunto...

Acho que o dinheiro está mal distribuído de propósito. Deve ser para "quem tem", provar a bondade e a honestidade e "quem não tem", para provar a humildade e a paciência... (Resposta à Mundo Azul)

"Segundo a parábola, algumas pessoas receberam valores diferentes de seu senhor, e sem que soubessem que isso iria acontecer, foram chamadas a prestar contas algum tempo depois. As que receberam quantidades maiores de talentos, trabalharam com eles, gerando lucro. A que recebeu apenas um talento, com medo do rigor de seu senhor, preferiu enterrá-lo para entregar tal e qual lhe foi confiado, sendo severamente repreendida no dia da prestação de contas. "

E segundo estudiosos, dizem que as nossas habilidades consideradas inatas podem ser desenvolvidas caso haja motivação. Assim, qualquer um de nós estamos, potencialmente aptos a aprender tudo, desde que tenhamos vontade e usemos as técnicas apropriadas ao que quer que seja.

Podíamos viver numa sociedade de troca. Acho que seria mais interessante. E não há ninguém que não tenha nascido sem um dom, por isso, era muito difícil de se escassear... Mas aí entra o petróleo no assunto... Acabou a conversa! Todo o dom será aniquilado e substituído por máquinas. (Resposta a Amor de Madrugada)

Enfim!...

13 comentários:

C3-PO disse...

Nem é preciso falar no petrólio... Assim como o Homem é capaz de fazer o melhor e mais belo... também é capaz do pior... Infelizmente é assim... há muita ganância. =/

beijinhos

No Limite do Oceano disse...

Nem todas as divagações têm que ser sentimentais...mas mesmo assim as monetário acabam por ter um reflexo no que somos e no que a sociedade nos faz ser. O dinheiro é como o sol, todos nós precisamos dele para viver...

*Hugs n' smiles*
Carlos

Ps- Joice um aparte...obrigado pelas palavras, li as no momento certo :- )

Fernando Rozano disse...

ao te ler agora, Joice, lembrei de uma sociedade que viveu aqui no sul do Brasil, na Argentina e Paraguai: os guaranis, e depois as Missões com a presença dos Jesuitas. Sociedade justa, que trabalhava, criava, desenvolvia talentos e sensibilidades, hábeis para a vida, em sistema "comum". Resultado: destruíram-na. Hoje, mudaram apenas os métodos de destruição, mas ainda somos sim capazes de contruir uma civilização de verdade. Utopia? Pode ser, mas acredito. Gostei muito do post. meu abraço e beijo.

mundo azul disse...

...a gente sonha sim, com um mundo melhor... Mas, depois que li, "Revolução dos bichos"... Percebi que nunca haverá um sistema perfeito, onde todos se igualem.

Beijos de luz e o meu carinho, amiga!

instantes e momentos disse...

Foi bom começar a semana vindo aqui. Muito bom teu blog.
Maurizio

JOICE WORM disse...

C3,
Acho que a ganância está implícito no ser humano. Há sempre algo que desejamos ardentemente. O pior é quando esta vontade ultrapassa a normalidade...

Carlos, oceano de paz...
(lá estou a dar-te nomes). Todas as divagações, penso eu, são providas de sentimentos e no que toca a dinheiro, é realmente um mal necessário...
Quanto ao que escrevi para ti... Vai sempre do meu coração para o teu. Um beijo grande!

Fernando,
Fico sempre grata quando vejo um coment seu. E me fez nostalgia quando lembrou desta sociedade perdida por interesses econômicos. É uma pena. Mas de facto parece utopia imaginarmos que um dia esta sociedade possa voltar a existir...
uma beijoka para ti, meu amigo!

Zélia,
vou procurar a "Revolução dos Bichos" imagino que deve ser bastante elucidativo. E acho que todos devem concordar que um mundo melhor seria aquele que não paguemos nada e nos relacionemos com confiança uns com os outros. Será assim? Bjs, linda!

Índia disse...

Muita gente faz qualquer coisa por dinheiro, certamente o mundo seria bem melhor se vivessemos num sistema de troca, como vc falou. Infelizmente nao eh assim, os interesses economicos de alguns atropelam a maioria, se faz tudo por dinheiro, perdem valores morais, familia, amor proprio, orgulho. Muito bom o post, amiga.

Beijao.

JOICE WORM disse...

Hoje vim visitar o Blog e descobri que eu fui o visitante nr. 6666
Era bom que este numero representasse alguma coisa... risos!

India,
É verdade, infelizmente não é assim, e só será se por acaso o mundo começasse a se refazer como depois do dilúvio. Segundo o filme que vi, havia um vendedor ambulante que pairava pelas água que trocou algumas coisas que tinha por comida... Bom, mas era um filme. a Biblia não contou nada de vendedores ambulantes sobre as águas que não fosse apenas a arca de Noé... Esquece! (risos)

Assim que sou disse...

Sabe, Joice, me forjei como personalidade em conceitos absolutamente à esquerda. Gosto,sempre gostei da idéia de um socialismo puro, onde tudo pode e deve ser de todos. A maturidade faz você perceber, e até vivenciar, que a natureza humana não é tão solidária assim. E que mesmo diante de iguais oportunidades, os destaques individuais geram vaidades e o cruel desígnio dos que se pensam melhores do que os outros, inclusive na distribuição da renda e do poder.
Hoje permaneço sonhando, acreditando, mas mudei alguma coisa no meu conceito pessoal. Só não deixo sair de mim a capacidade da indignação diante do que me assusta e confunde. E certamente a questão da distribuição de renda injusta e desumana está na raiz dessa incompreensão.
Falaria horas sobre isso. bjss. Veronica

JOICE WORM disse...

Assim que sou,
Esta desilusão adquirida passa por toda gente. Começamos com uma confiança extrema em tudo e todos e, a proporção que vamos crescendo, a ilusão que tínhamos vai se desvanecendo...
Por infelizmente descobrir o sentido errado da vida ou por não unirmos e lutarmos...
(Sei que esta afirmação não é fácil de conseguir e digo-te mais. Eu não sou uma das que levantam para lutar. No sentido econômico, luto dentro do meu espaço e a defender a minha família. No trabalho, luto por uma questão de oportunidade. Mas em relação ao povo, não tenho forças nem vontade de me unir à grupos. Talvez por comodidade, talvez por achar que não vai adiantar grande coisa...)
Beijinhos, Verônica. Falaríamos sim, durante horas!

Florescer disse...

Mais uma vez um post bem humorado. Dá gosto de ler. Hoje mesmo estava comentando com minha mãe sobre essa possibilidade - a da troca - pois, como você diz, todos nós temos potencial e eu acrescento que: temos potencial para o crescimento desde que tenhamos, também, oportunidade. Amei
Beijos
Jacinta

xistosa - (josé torres) disse...

Penso que nunca poderemos ser todos iguais.
Como é que nos poderíamos igualar aos políticos que usurpam lugares para amigos?
Como podemos continuar a contribuir para um sistema corrupto que só pune quem cumpre e tem uma falha?
Quem alimenta as vorazes fomes de poder, que seres abúlicos, querem demonstrar possuir?
O petróleo é a criação dos ricos e poderosos para nos distraírem ... porque aqui, quem tem iates e barcos de luxo, paga o petróleo quase ao preço da água ...

Talvez uma revolução que obrigue que é eleito a governar e não a governar-se ... não acredito em deuses ... nem noutra vida ... mas talvez um dia o pessoal se lembre que também tem direitos!

JOICE WORM disse...

Jacinta,
Este é um sonho de antanhos. Antes de existir a moeda e sociedade foi mesmo feita através de troca. Mas com tanta tecnologia, tanto investimento pessoal em estudos, tantos gastos para o lazer e o prazer, tudo começou a ter um valor quase inatingível. Também calculo, se todas as pessoas fossem ricas, quem iria limpar a porcaria??... Assim é a vida, amiga!

Torres,
É o que eu digo, seria muito difícil orientar o traballho de uns e outros se todos tivessem os mesmo direitos e oportunidades. E assim, com este forum bloguista, pude me orientar espiritualmente de que as diferenças são necessárias.