sábado, 5 de julho de 2008

Sinais chineses

Daqui por uns anos, cada um será chefe de si mesmo. Ao que parece, hoje em dia, e pelo que vejo da economia chinesa, eles já estão a anos-luz pensando desta maneira. E o que vemos nos restaurantes e lojas de conveniências, não são empregados... São famílias!

(Acho que é por este motivo que não sabemos notícias de que há grupos de chineses ilegais em terra nenhuma ou que serão repatriados por algum motivo. Os chineses tem sido bem vindos por trabalharem e não atrapalharem a vida social em contexto. Mesmo que pequem na limpeza da restauração, facilmente se adaptam às leis e seguem em frente. Seu governo apoia em todos os sentidos e eles participam assim de corpo e alma para o crescimento econômico da China, da sua própria família e do país onde reside.)

Chamam-lhes praga... Por estar tomando conta do comércio e vender barato, atrapalhando a riqueza de outros departamentos...

(Já recebi muitos mails de atrocidades chinesas com mulheres e crianças do sexo feminino no país origem. Confundo-me por pensar que possa ser verdade...)

Há muito o que reflectir...

11 comentários:

Madalena Barranco disse...

Olá Joice, ai, ai, esse é de fato um assunto que pede muita reflexão. Ser o próprio chefe é algo assim como um sonho bom, mas não podemos nos esquecer que as boas relações ajudam a equilibrar a sociedade e para isso bons patrões x bons empregados são peças importantes no mundo.

Beijos.

JOICE WORM disse...

É Maga... O que faz um bom patrão é o aprender "ser bom líder", mas não um líder que só sabe mandar, mas aquele sim, que sabe "fazer participar", aquele que sabe motivar e orientar. Mas infelizmente não encontramos em uma só pessoa. Existe. Mas é raro.
Quanto aos empregados, cada vez mais encontro pessoas submissas, ao contrário do que se esperava. De tanto precisarem de dinheiro para viver, já aceitam qualquer tipo de trabalho e qualquer tipo de patrão.
Acho que precisamos reaprender algumas coisa no âmbito profissional.
A estructura empresarial japonesa jã superou a teoria organizativa do Taylor e os empregados no Japão se sentem bastante motivados. A China, não segue à risca, mas fomenta o trabalho em família. E nós, continuamos com os presidentes, directores, tecnicos especialistas, chefes de sector, responsável de grupo e o assalariado mínimo que no fundo faz toda a força do trabalho e não tem direito à opinião...
Havemos de mudar!... Esperemos.

xistosa - (josé torres) disse...

Onde não há liberdade ... a vida não pode ser normal.
Basta a imposição de só um filho, para se cometerem crimes horrendos.
Tenho dois amigos, mas mesmo amigos chineses.
São uma comunidade muito fechada e unida.
Trabalham quase 20 horas por dia.
Janto algumas vezes com eles, depois dos clientes ... mas vou para a cozinha.
Tive que "os obrigar" a terem hábitos de higiene que são necessários.
São dois casias muitíssimo simpáticos.
AH! Um tem dois filhos e o outro três!!!
Por isso vivem e trabalham em Portugal há muitos, muitos anos!

conhecimento disse...

Familias em cima de familias, está a ser uma radicação sem fim á vista, estamos a ficar minados de Chineses e não só!

No Limite do Oceano disse...

Joice, falavas de atrocidades chinesas com mulheres...há uns dias vi um video que foi complicado de ver até ao fim. Num país muçulmano um grupo de homens estiveram a apedrejar uma jovem mulher. Ela estava deitada no chão e foi violentamente agredida com pontapés, pedras e um deles atirou-lhe uma enorme pedra sobre a cabeça. Foi repugnante ver o sangue a invadir o cinzento do chão. Foi algo que nunca pensei ver. A ironia de tudo o que vi foi que o Homem evolui, e com a tecnologia consegue captar as mais bárbaras desumanidades, mesmo assim há mentalidades que param no tempo e por questões que não compreendo, há pessoas que sofrem na pele os mais desumanos actos...é triste essa realidade.

mundo azul disse...

...é bem difícil concluir...
Penso que, como todos os povos, tem o lado bom e o ruim...A falta de liberdade é atroz para o ser humano...Depois, a gente fica sabendo das situações, sempre através da mídia...Manipuladora e nem sempre verdadeira.
Beijos de luz e uma semana bem feliz!!!

CarLitos disse...

olá amiga querida. veeeeeeeeeeeeerdade o teu comentário amiga!! mas acredita q nao está facil... =(

***

JOICE WORM disse...

Torres,

Que legal ter amigos chineses... E ainda por cima poder estar com eles a ajudar na integração. E por falar em hábitos de higiene, acho que vai mesmo de pessoa para pessoa ou será que todo chinês tem maus hábitos?
Manda um abraço brasileiro aos teus amigos aqui da minha parte...

Antonio,

Não diga que estamos a ficar "minados de chineses"... a terra é de todos. E os limites políticos foram criados pelos homens. Sou brasileira e me integrei perfeitamente em Portugal e vice e versa em relação aos portugueses que ainda vivem no Brasil. Acho que qualquer nacionalidade é para ser respeitada com outra qualquer. A única coisa que pode nos fazer rejeitar um individuo é a sua própria conducta, não o facto de ser deste ou daquele país... (é a minha opinião).

JOICE WORM disse...

Carlos, oceano,

É melhor não falarmos em atrocidades. Tem dias que nem posso ver o telejornal...
Obrigada por querer participar na leitura da Novela. Logo lhe explicarei.

Mundo Azul,

Tens razão quanto à mídia. Há tanta coisa boa no mundo para mostrar, mas cada país insiste em mostrar o lado ruim de cada lugar. E quando querem vender viagens, mostram o lado bom. No fundo, é um jogo de interesses...
Todo país, e tens outra vez razão, tem seu lado bom e seu lado ruim. E a liberdade está dentro do peito de cada cidadão.
Beijos pr'ocê também.

Carlitos,

Até pensei que estavas comentando o post sobre a estructura empresarial dos chineses... Mas já entendi. Amanhã vou escrever-te uma mensagem. Por hoje, descanse...

Fernanda disse...

Joice,
isso de trabalhar em família tem imensos inconvenientes, para além da inexistência de limites entre pessoal e profissional, quando as coisas correm mal financeiramente é o descalabro total! Não há quem salve...
Por aqui proliferam as lojas de chineses, como aliás em todo o lado. Há 3 anos atrás fiquei perplexa com a quantidade de lojas chinesas em Paris, em avenidas onde antes estiveram lojas bem francesas. Isso aconteceu num espaço de tempo pequeníssimo.
Eu evito ir nessas lojas, não me iludem os baixos preços, para além da fraca qualidade não me agrada as condições de trabalho dos chineses.
Quando à falte de higiene, é verdade, Joice, e é cultural, acredite!
Boa semana!
Bjossss

amordemadrugada disse...

Joice, Joice!
Eu juro que não sou racista! Mas quando penso em chineses, tipo, não tenho culpa de sentir esta coisa estranha em relação a este povo, somente este!
Invadiram o país, melhor pra eles e pra quem compra mais barato.Agora falaste em restauração!!!Ui!!! Que nojo! Então se sabem tão bem vender tudo e mais alguma coisa, também poderiam ser mais limpos no que toca a comida, não achas!? E depois são um povo que só vê dinheirito á frente...
Peço desculpa porque o mundo deveria estar preocupado com outras coisas bem mais importantes, mas... chinocas... ui
Perdão e beijito