quarta-feira, 6 de junho de 2007

Manuel desperta (3)

«Hoje acordei otimista! Acho que não posso ficar todos os dias a resmungar a minha vida sem procurar melhorar...», disse Manuel à Eugénia.
E continuou. «Ontem li na internet um episódio da vida do Thomas Edison e acho que tirei alguma lição...»
«Não esqueça que Edison tinha um QI de 240, Manuel.» Lembrou Eugénia com medo que ele quizesse se comparar ao inventor.
«Eu sei. Mas o que quero dizer é que li sobre uma vez que o seu laboratório incendiou-se e ele com o filho ao lado, via com desgosto, aos 67 anos de idade, os trabalhos de pesquisa de toda uma vida desaparecerem por completo. Enquanto os bombeiros tentavam apagar o fogo, o filho percebeu que o pai não dizia nem uma palavra, quando de repente falou:...»
«Deus me ajude!», pensou Eugénia, com medo de que Manuel tivesse descoberto algo de transcendental na vida do Edison para ele seguir.

«Disse ele ao seu filho, continuou Manuel. "Existe um grande valor num desastre como este. Todos os nossos erros são queimados. Graças a Deus e podemos começar tudo de novo”. E realmente Edison começou de novo. Até o incêndio ele tinha passado três anos tentando inventar o toca discos. Três semanas após o desastre ele conseguiu.»
«Que espectáculo Manuel. Agora já sei onde você quer chegar, disse Eugénia aliviada. Com certeza está disposto a vender a casa, pagar todas as dívidas que contraímos e começar tudo de novo...», concluiu Eugénia com um brilho nos olhos.
«É isso mesmo mulher. Acho que o seu QI também não é muito inferior, (gracejou). Vamos começar tudo de novo!!»

Sem comentários: