segunda-feira, 18 de junho de 2007

A menina doce

Era uma vez, uma menina muito doce e pura. Sonhava em encontrar o seu príncipe encantado, como nos contos de fadas.
Brincava todos os dias a tirar pétalas das margaridas e dizer:
«Bem me quer, mal me quer... Bem me quer, mal me quer...»
Um dia ele apareceu. Lindo... Alto... Bem falante e elegante. Olhou para ela, curvou-se a sua frente, pegou-lhe na mão e dizendo poucas palavras, a conquistou.
A menina doce e pura, passou a ver o princípe encantado todos os dias. E cada dia que o via, mais apaixonada ficava.
Um dia, ela deixou de ser pura, mas continuava doce. Tão doce que não via o que ele lhe fazia. Passou a ser uma menina doce e inocente.
Um dia a menina perdeu o seu princípe para outra menina só doce. E no dia seguinte ela descobriu que junto a ela, estavam a chorar pelos cantos, outras meninas doces e puras que ele também havia deixado.
E assim, não viveram felizes para sempre!

4 comentários:

anasustar disse...

No momento da desilusão e da tristeza, não conseguimos superar as nossas dores mais profundas. Temos de seguir em frente, com o olhar no horizonte e a esperança num nível elevado.

Laís disse...

coitada da menina..um dia eu fui essa menina.
mas já não sou, que não vale a pena..e príncipes só na ficção!

amo-te :)

Criado por JOICE WORM disse...

E a esperança... esta danada, não morre mesmo e traz com ela uma alegria ainda maior Ana..

Criado por JOICE WORM disse...

Laís... Esta menina que você diz que já não és, está sempre dentro de nós, entretanto mais inteligente. E o príncipe já anda de gravata e pasta na mão, ou de iate e óculos escuros, ou até mesmo andando distraidamente com seus chinelos e mochila... Quem sabe? Até pode estar em uma sala de aula a dar classe de Filosofia... Princípe é aquele que a gente escolher!!