segunda-feira, 11 de junho de 2007

O Dilema de Ângela

Angêla não sabia mais o que fazer para que o marido entendesse que ele tinha que contribuir para o orçamento familiar com mais responsabilidade. Já tinha tentado com conversa e terminava sempre em gritos e ameaças de que a iria deixar se ela continuasse a lhe pedir mais dinheiro.

Eles não tinham uma vida muito má, mas depois que o único filho que tínham adoeceu e precisou de cuidados médicos intensivos no Hospital, todas as economias que Angêla tinha foi empregue na saúde do seu filho.

Seu marido, entre uma mistura de revolta e insatisfação pessoal, porque ela já não dava tanta atenção a ele, procurou outra mulher na rua para passar horas mais felizes.

Angêla tinham muitas amigas e através de uma delas, veio a saber que seu marido tinha uma amante que recebia pagamentos pelos seus "serviços". Ficou muito angustiada e pensou inteligentemente no que poderia fazer... Foi procurar a mulher que o marido tinha encontrado o ombro e alento que precisava. Conversou com ela sobre os seus problemas com o filho e com seu marido, sem nunca dizer quem ele era. Também disse que não tinha coragem para trabalhar como ela, pois além de ter um emprego de muitos anos, tinha que estar no Hospital com seu filho que esperava por um transplante de coração.

A "Senhora" ficou muito comovida com a sua história e disse que incrivelmente tinha um cliente que também tinha o mesmo problema, mas não quer que ninguém ajude. «Eu própria já tentei ajudá-lo mas ele insiste em pagar pelo traballho. E por não me contentar com a sua resposta, guardo todo o dinheiro que ele me dá, em uma caixinha especial. E chamo esta caixinha carinhosamente, "Caixa da Boa Vontade". E já que é para ajudar uma criança com o mesmo problema, então quero que aceite esta caixa com todo o valor que tem no seu conteúdo. Assim sinto-me melhor e cada vez que este homem voltar aqui, o seu pagamento total dou a ti Angêla, para que cure o seu filho e volte a ser feliz com o seu marido. Sorte que eu nunca tive! Mas acredito que atrás de uma boa acção, há um salvação!», disse-lhe ela.

2 comentários:

jorgeferrorosa disse...

Dilemas, conversas, posturas, algo mais forte que modifica a vida, algo mais para lá do que o que antes pudera pensar-se. Tento pensar a situação e o sono abeira-se envolvendo-me para descansar esta mente. Sei que isso terá um fim inteligente, porque esse fim foi concebido por um ser inteligente. Fantástico... outra palavra que deixo aqui.
Gostei do que li.
Abraço

Criado por JOICE WORM disse...

Obrigada Jorge, já fiz também uma visita ao seu Blog, ou melhor dois deles... e digo-te...é obrigatório desde agora, passar por lá antes de descansar a MINHA mente!