sexta-feira, 16 de maio de 2008

És astro!

Tranquilos...
Nem o sol consegue ser forte quando passa uma nuvem de tempestade.
Mas, a sua essência ela não consegue apagar,
Porque por detrás, o astro permanece íntegro...
... E espera...

(Aos meus cristais - Joice Worm)

12 comentários:

No Limite do Oceano disse...

Joice!!!! Bem tentei voltar a molhar os pés no meu oceano mas o texto ficou tão mau que resolvi o guardar para mais tarde dar-lhe a volta. Vontade não me falta de ir até lá e deixar nem que seja um pensamento mas tenho que esperar mais um pouco. Neste momento acabei de escrever na tal história um despertar, e porque falas de astros, acho que depois de uma tempestade sabe bem um raio de sol, mas o que é realmente importante é sabermos que estamos intactos! Porque nas fendas as ervas daninhas crescem e a essas depois é complicado de cortar o mal pela raiz!

Beijos e *hugs n' smiles*
Carlos

JOICE WORM disse...

Oi Carlos,
Gostei quando falaste de ervas daninhas nas fendas... Pode não cortar o mal pela raiz, mas pode deixar que este mal pareça um motivo para mudar alguma coisa...
Vá lá... Coragem!!

Aline Romero disse...

Que coisa bonita!
Quem dera eu pudesse, em poucas palavras, dizer tudo o que precisa ser dito... Voce faz isso brilhantemente, Joice!
Abraço!

JOICE WORM disse...

Então Aline,
Em poucas palavras você conseguiu encher meu coração de vermelhos.
E só por isto, ele bateu mais forte!

Camilinha disse...

sim, sim...

e de repente, se chover fininho, até somos capazes de ver um lindo arco-íris...

beijos daqui...

Camilla Tebet disse...

Que bom que sim. E nós aqui esperamos por ele, por luz de novo, que nos guie nessa vida nublada que insiste em amanhecer.

JOICE WORM disse...

Camilinha e Camila... Que legal!

Camilinha,
Obrigada pela visita. E obrigada por me lembrar de uma chuva fininha com arco-íris, até fui ver se tinha alguma sorte olhando da janela... Mas hoje não vi, apenas continua nublado. Amanhã estou na janela de novo!! Beijinhos para ti.

Camila Tebet,
...E ainda bem que a vida insite em amanhecer, senão já estávamos pálidos e sem quere viver... Hoje a noite me aguarde no seu Blog. Vou lá!! Beijokas para ti!

Juliana Caribé disse...

Eu concordo plenamente: a luz sempre permanece...

Beijos.

Filipa Epifânio disse...

Já dizia a grande poetisa Florbela Espanca "É ter cá dentro um astro que flameja" e esse ninguém apaga :)

*

Voz do meu Coração disse...

Aqui todo o dia choveu e não consegui ver o sol, mesmo assim seu que ele todo o dia brilha para nós, cso isso não acontecesse seria noite, mas o mais importante é que na silplicidade de algumas palavras como as que acabei de ler, não conseguem que as nuvens impeçam o meu sol de brilhar, obrigada.
se quizer venha também me visitar
Dora Coimbra
http://coimbra,romandie.com
http://molelos.romandie.com

JOICE WORM disse...

Juliana,
Esta luz que também chamo de astro, é aquela que não vemos e que persiste cá dentro, aí dentro... Às vezes cansa-me dizer palavras que soa como religiosidade. Daí, a luz-inteligente que temos "cá" dentro e "aí" dentro de ti... Esta também jamais apagará. Vá por mim...
Beijokas!

Filipa,
Esta tua foto olhando a vela está o máximo. Adoro.
Já vi que a Flor Bela Espanca também pensou como eu. "Cá dentro" é mesmo "dentro de nós". Bem lembrado!
(vou lá em tua casa...)

Voz do meu coração,
(Que assim seja). Até dá vontade de falar seu nick em voz alta: VOZ DO MEU CORAÇÃO.
Sabe de uma coisa que adoro quando acontece... Fazer uma viagem de avião em um dia nublado. Atravessar com aquelas asas de ferro toda as nuvens e de repente ver que estamos por cima de todas as nuvens ovelhinhas, com um céu azul e o sol amarelo a brilhar...
(Vou te visitar sim. Um beijo grande!)

xistosa disse...

A nuvem é passageira.
Um ténuo momento.
O SOL um forte firmamento, que pensamos eterno. Será?
Todos os dias no mesmo sítio, percorrendo os mesmos caminhos ... um dia cansa e faz-se escuro.
Felizmente já cá não estarei.